Menu
Busca sábado, 16 de novembro de 2019
Cidade Morena

PM do Bope que matou e prendeu assaltantes é absolvido em júri emocionante

Policial chorou ao ser elogiado por uma testemunha na sessão

07 novembro 2019 - 15h35Por Thiago de Souza

O policial militar do Bope, Kolber Lopes de Andrea, foi absolvido, na tarde desta quinta-feira (7), pelo Tribunal do Júri, em Campo Grande.

Ele respondia por um assassinato e duas tentativas de homicídio quando, em 2015, atirou e matou um assaltante que havia acabado de roubar e fugia no centro de Capital.

O advogado do PM, José Roberto Rosa, disse que o resultado, por 4 votos a zero, ''devolve para a Polícia Militar o sentimento de que fazer o certo vale a pena''.

Rosa avaliou que seu cliente, de 47 anos, é exemplar e nunca teve uma punição na carreira. Também que o PM prendeu os dois assaltantes, recuperou o carro e também a arma usada no assalto.

''Ah, os dois assaltantes que sobreviveram foram condenados'', acrescentou o defensor.

Questionado sobre o que levou o Ministério Público Estadual a processar seu cliente, Rosa disse que cada promotor de Justiça tem um entendimento, mas que seria uma injustiça para a sociedade condenar o réu.

O caso

A promotora Livia Carla Guadanhim Bariani entendeu que, como policial, Kolber poderia ter pedido reforço para prender os criminosos.

Assim que foi denunciado pelo MPE, o juiz responsável pelo processo, Carlos Alberto Garcete de Almeida, recusou a denúncia, entendendo que o policial agiu dentro da lei e conforme sua função de agente da segurança pública. Porém, a procuradoria de Justiça de MS recorreu ao Tribunal de Justiça, que determinou que esse caso fosse para júri popular.

Conforme a Denúncia do MPE, Kolber dirigia pela Ernesto Geisel quando viu criminosos abordarem um motorista e levar o carro dele, na rua dos Barbosas. O policial parou o carro e foi informado pela vítima que tratava-se de uma assalto.

Na sequência, o PM passou a perseguir os três suspeitos e o carro passou a fazer manobras de zigue-zague. O policial emparelhou o veículo dele com o outro e deu voz de abordagem, que não foi obedecida. Então, sacou uma pistola .40 e atirou contra os criminosos, ferindo Brendon da Silva Machado e os outros dois criminosos.

O policial e populares acionaram o socorro, mas Brendon morreu.

* Matéria alterada às 9h24 de 8/11 para correção de informação. Kolber serviu no Bope e não no Batalhão de Choque como dito anteriormente.