Menu
domingo, 27 de setembro de 2020
Cidade Morena

E os pedestres? Loja 'se apossa' da calçada para expor materiais de construção em Campo Grande

Pedestres se arriscam no asfalto, ao lado dos carros, para continuar travessia; conduta pode ser punida com multa

27 abril 2019 - 09h30Por Dany Nascimento e Amanda Amaral

Um empresário de 50 anos, que prefere não ter nome publicado, reclama da falta de consciência de uma loja de materiais para construção que está localizada no cruzamento da Rua Pernambuco, com Avenida Ceará, na Vila Gomes, em Campo Grande. Ele afirma que, diariamente, materiais permanecem na calçada e atrapalham a circulação até mesmo de deficientes físicos.

“Atrapalha todo mundo, tem materiais para todo lado, as pessoas têm que desviar pela rua para passar. Cadeirantes não conseguem, pessoas com deficiência visual também, devido à grande quantidade de materiais. Os clientes também estacionam de qualquer jeito o carro na calçada, é um absurdo”, afirma o denunciante.

Ele destaca ainda que o depósito não é o único estabelecimento a desrespeitar pedestres e alega que outros locais  utilizam a calçada para comércio. “Conveniência também usa, são muitos os locais que não respeitam a circulação de pedestres ali. Na conveniência, as pessoas estacionam em cima da calçada e não se preocupam com nada”, diz.

Depósito

O TopMídiaNews entrou em contato com a proprietária do comércio, Eliza Goya, 35 anos, que já chegou a ser multada pela Agetran (Agência Municipal de Trânsito) pelos motivos citados. "Fiz na calçada ali do jeito que a prefeitura mandou fazer, coloquei piso tátil e listra amarela pra delimitar o estacionamento. Tenho sete metros pra usar, mas não consigo controlar quem vem e estaciona errado", se defende. 

A empresária afirma que respeita o limite do espaço para passagem de pedestres, e nega que atrapalhe o fluxo e limpeza do local. "Olha, às vezes o caminhão também tem que descarregar e o cimento fica ali naquela hora. Mas já me adequei em tudo, agora vem Agetran querer me multar todo dia? Emprego 60 funcionários em duas lojas, recolho imposto, tudo", finaliza.

Prefeitura

Procurada pelo TopMídiaNews, a prefeitura informou que a denúncia será encaminhada para o setor de fiscalização. Nestes casos, o comerciante é notificado para a desobstrução do passeio e, caso não atenda a notificação, é então autuado. A multa varia entre R$ 467,80 e 2.339,00.

“Informamos que diariamente a Semadur (Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Gestão Urbana) realiza fiscalizações relacionadas à obstrução do passeio público, pois conforme o Código de Polícia Administrativa do Município de Campo Grande é proibido embaraçar ou impedir por qualquer meio o livre trânsito de pedestre e veículos nas ruas, praças, calçadas, estradas e caminhos públicos, exceto para efeitos de obras públicas ou quando exigências policiais a determinarem. Enviaremos a denúncia ao setor responsável pela fiscalização", diz. 

Leia Também

Brasil registra 869 novas mortes nas últimas 24 horas
CORONAVÍRUS
Brasil registra 869 novas mortes nas últimas 24 horas
Primeiro castramóvel chega em janeiro e vai atender bairros mais vulneráveis em Campo Grande
Cidade Morena
Primeiro castramóvel chega em janeiro e vai atender bairros mais vulneráveis em Campo Grande
Em dois anos, MS ganha 54 mil eleitores e mulheres definem eleição
Cidade Morena
Em dois anos, MS ganha 54 mil eleitores e mulheres definem eleição
Bebê com atrofia muscular morre após campanha para importar remédio de cerca de R$ 11 milhões
Geral
Bebê com atrofia muscular morre após campanha para importar remédio de cerca de R$ 11 milhões