TCE 21 a 27/06/2021
Menu
sexta, 25 de junho de 2021
MEDIDAS RESTRITIVAS 19/06 a 27/06/2021
Cidade Morena

Queridinho dos campo-grandenses e mais caro que arroz, feijão é o novo vilão do almoço completo

População tenta estocar produto e fica de olho nas promoções; previsão é de queda no preço

26 março 2019 - 09h16Por Dany Nascimento

Muitas pessoas foram surpreendidas ao pegar um pacote de feijão durante as compras realizadas em Campo Grande. O preço da mercadoria deu um ‘salto’ e muitos deixaram de adquirir o produto nos últimos dias. De acordo com o gerente comercial de uma Rede de Supermercado da Avenida Manoel da Costa Lima, Leandro da Silva, 36 anos, a queda na safra fez com que o preço do feijão chegasse a R$ 9,50.

“Essa queda na safra faz o preço aumentar, as pessoas já estão acostumadas com isso. O preço muda lá na distribuidora, mas agora a tendência é baixar o preço. A população sabe desse período de queda na safra, que faz o produto aumentar. Como vem do Nordeste, não podemos segurar muito o produto, tem que ir baixando o preço para não perder a mercadoria, porque ele vai ficando preto e estraga se ficar muito tempo estocado”, explica Leandro.

Dono de um restaurante, Marcelo Vinicius Guitierrez, 46 anos, demonstra indignação com a alta do feijão e destaca que não pode repassar o valor que paga no produto para os clientes. “Se eu repassar o valor que estamos pagando, eu perco o cliente, que vai preferir levar comida de casa ao invés de comer no restaurante. É um absurdo, tudo está subindo, cebola, alho, pimentão, os produtos mais procurados estão subindo muito, é complicado. Onde vamos parar?”, questiona Marcelo.

Já a aposentada Célia Oliveira, 70 anos, afirma que está acostumada com o período de queda na safra e sempre tem dois pacotes de feijão estocados em casa. “Eu sempre gosto de deixar dois pacotes a mais, porque é um produto que caruncha, não pode ficar muito tempo guardado. Mas essa época de queda na safra acontece todo ano, é normal ficar muito caro. Depois ele vai sendo ajustado e volta ao preço normal”.

Aristides Bento, 68 anos, também destaca que tem conhecimento da época de queda e aproveita as promoções que encontra nos supermercados. “Eu deixo alguns pacotes em casa quando encontro barato e não passo aperto quando está caro. Em casa temos costume de aproveitar promoção e não somos surpreendidos na hora de fazer a compra do mês”.

De acordo com Leandro da Silva, os preços já começaram a cair e, dentro de 15 dias, tudo deve ser normalizado. “Já caiu o preço, está descendo, acredito que mais duas semanas já volte ao normal”, finaliza o gerente.

Leia Também

Neto drogado espanca avó e coloca fogo em casa em Três Lagoas
Interior
Neto drogado espanca avó e coloca fogo em casa em Três Lagoas
Concurso da Polícia Civil é autorizado e edital deve sair no 2º semestre de 2021
Oportunidades
Concurso da Polícia Civil é autorizado e edital deve sair no 2º semestre de 2021
Bolsonaro confirma reunião sobre Covaxin, mas nega suspeitas de corrupção
Política
Bolsonaro confirma reunião sobre Covaxin, mas nega suspeitas de corrupção
Bandido tenta assaltar motorista de app com faca no pescoço e leva a pior
Polícia
Bandido tenta assaltar motorista de app com faca no pescoço e leva a pior