Menu
Busca quinta, 14 de novembro de 2019
Cidade Morena

Prefeitura começa a recuperar o asfalto para liberar trecho da Ernesto Geisel

Até agora 60% da obra já foi executada e foram investidos R$ 29.416.122,52

21 outubro 2019 - 11h55Por Luis Abraham

A Prefeitura de Campo Grande iniciou a recuperação do pavimento no trecho centro-base da avenida Ernesto Geisel, que se encontra interditado desde o ano passado para as obras de revitalização do rio Anhanduí. A intervenção corresponde ao trecho de 800m entre as ruas da Abolição e do Aquário e exigem a utilização de 300 toneladas de massa asfáltica. Até quarta-feira (23) o serviço deve estar concluído e o tráfego liberado. Antes de recompor o asfalto, a empresa responsável pela obra refez a base do pavimento, a imprimação e concluíram o meio-fio.

Segundo a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, o mesmo serviço já foi realizado no primeiro trecho das obras de revitalização do Anhanduí, entre as ruas Santa Adélia e da Abolição. Neste primeiro lote, ainda falta executar o serviço de urbanização, implantação da ciclovia e recapeamento que será feito nas duas pistas ao longo de toda extensão da área de intervenção.

De acordo com informações da Prefeitura de Campo Grande, o cronograma de execução da obra acabou sendo prejudicado pelos atrasos no repasse de recursos do Governo Federal. Totalizando três, em março, junho e setembro, que somaram R$ 11,4 milhões. Na semana passada, o prefeito Marquinhos Trad esteve no Ministério do Desenvolvimento Regional, para cobrar a liberação de R$ 2,9 milhões empenhados há 60 dias. 

Mesmo com o fator climático prejudicando e a incerteza sobre a pontualidade nos repasses, o secretário Rudi Fiorese acredita ser possível concluir ainda neste ano o primeiro lote. “Falta colocar apenas 5 metros de placas de concreto para contenção da margem direita, urbanização e implantação da ciclovia”, explica o secretário.

Quantos aos outros dois lotes, a estabilização da margem esquerda (com placas de concreto e gabião) só será iniciada quando a Águas Guariroba remanejar o emissário da rede de esgoto instalado rente à margem do rio. A tubulação será removida em direção a pista, para ficar a 4 metros da parede gabião. Até agora 60% da obra já foi executada e foram investidos R$ 29.416.122,52.