Menu
Busca domingo, 05 de julho de 2020
ALMS
Cidade Morena

Depois de 20 anos, prefeitura e governo regularizam prédio de verificação de óbito

Serviço é realizado em prédio ao lado do Imol

14 outubro 2019 - 16h35Por Luis Abraham

O imóvel localizado na Avenida Filinto Muller, em Campo Grande, e utilizado há mais de 20 anos pelo SVO (Serviço de Verificação de Óbito), ao lado do IMOL, nesta segunda-feira (14), passa a ser oficialmente cedido ao município. Com a regularização, será possível pleitear recursos junto ao Ministério da Saúde para custeio da unidade, gerando também economia com uso compartilhado do abrigo de resíduos sólidos e de serviço de saúde.

De acordo com a assessoria do município, a assinatura do Termo de Cooperação Mútua entre Governo do Estado e Prefeitura de Campo Grande aconteceu no gabinete do prefeito Marquinhos Trad. Para Marquinhos, a expectativa é de que através desta parceria será possível melhorar serviço e proporcionar mais celeridade ao atendimento prestado à população.

“Eu sou testemunha da angustia das pessoas que perdem os seus entes queridos e ficam apreensivas em um momento tão delicado. A partir de agora, através desta ação realizada de maneira conjunta com o Governo do Estado, unindo esforços, esperamos que a gente consiga melhorar o serviço, considerando a possibilidade de novos investimentos”, disse.

O secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho, explica que o convênio permite que o município pleiteie junto ao Ministério da Saúde aproximadamente R$ 40 mil por mês para custeio da unidade. “Com essa formalização, nós teremos condições de habilitar a unidade no ministério (da Saúde) e requerer um aporte financeiro que será importante para oferecer um serviço de melhor qualidade”, comenta.

Já o secretário de Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul), Antonio Carlos Videira, reitera a necessidade da formalização da parceria que beneficia diretamente a população. “Essa é uma demanda de mais de 20 anos. Aqui estamos dando um passo muito importante mostrando que o Governo do Estado e o município de Campo Grande caminham juntos para atender de forma mais eficiente à população e isso se faz necessário, principalmente neste momento em que as pessoas estão fragilizadas”, complementa.

O órgão atende os casos de morte natural, sem assistência médica, ocorrida dentro dos limites do município de Campo Grande e casos de morte natural com assistência médica, com indefinição diagnóstica, porém co-fundamentada suspeita de doença de notificação compulsória e de interesse para a Saúde Pública.

A média de atendimentos nos últimos três anos e sete meses é de aproximadamente 83,6 óbitos por mês, ou 2,7 óbitos ao dia. Atualmente, o quadro funcional do serviço é composto por quatro médicos legistas, um patologista, dois auxiliares de necropsia e três de enfermagem. A parceria para utilização da área tem validade de 2 anos, podendo ser renovada por mais 60 dias mediante necessidade.

Assinam o termo em conjunto com o prefeito Marquinhos Trad, o secretário municipal de Saúde José Mauro Filho, o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira, o secretário de Estado de Administração e Desburocratização, Roberto Hashioka e a coordenadora-geral de Perícias, Glória Suzuki.

Leia Também

Após Pioneiros, é a vez da Filinto Müller ser recapeada em Campo Grande
Cidade Morena
Após Pioneiros, é a vez da Filinto Müller ser recapeada em Campo Grande
COVID-19: Brasil tem mais 37 mil casos e registra 1.091 novas mortes
Saúde
COVID-19: Brasil tem mais 37 mil casos e registra 1.091 novas mortes
Prefeitura confirma 3ª morte por Covid em Paranaíba
Saúde
Prefeitura confirma 3ª morte por Covid em Paranaíba
Deputado detona ação contra cloroquina: 'querem matar autorizado pelo Supremo'
Política
Deputado detona ação contra cloroquina: 'querem matar autorizado pelo Supremo'