tjms 18/01 a21/01/2021
Menu
terça, 19 de janeiro de 2021
dengue
Cidade Morena

Protagonista de foto polêmica, casal nega situação de miséria e critica comentários 'sem noção'

Marido se assustou com a repercussão da publicação em Campo Grande

07 janeiro 2020 - 13h10Por Thiago de Souza

O casal Gustavo Riella e Fernanda Silva, 20 e 21 anos, negou que esteja passando fome e condenou os comentários feitos em uma postagem polêmica no Facebook, em Campo Grande.

Os dois foram fotografados por um internauta, que se inspirou ao ver os dois trabalhadores enfrentando o sol quente com um bebê em um carrinho, na Marechal Rondon.

No dia 3 de janeiro, os dois subiam a Avenida, perto da Praça Cabeça de Boi. Ele estava com uma mochila de um aplicativo de entrega de lanches e empurrava o carrinho com a bebê de sete meses. A esposa seguia ao lado em uma bicicleta.

O internauta retratou a cena como ''inspiradora'', refletindo que o cidadão brasileiro, mesmo diante de dificuldades, consegue se virar e lutar para ''dar certo''. A postagem gerou polêmica, com comentários a favor da opinião do internauta e outros muitos contrários a ele.

Fernanda ficou chateada com os comentários na postagem, já que muitos entenderam que os dois estavam em situação de fome.   

''A gente não está passando necessidade. Achei desnecessária a polêmica'', criticou Fernanda.

O marido diz que se assustou com tamanha repercussão e quando eles viram a postagem resolveram não compartilhar para não piorar a situação.

''Percebi que a situação estava fora do controle'', lamentou Rafael.

A vida do casal

Fernanda conta que o marido foi demitido recentemente de uma empresa telefônica e, desde então, recebe o seguro-desemprego. ''Enquanto isso, ele faz bico com a entrega de lanches por aplicativo'', conta a esposa.

Mas a maior indignação do casal é a suposição feita pelos internautas, inclusive citando a filha deles e o Conselho Tutelar.

''Nossa filha é bem tratada, não falta nada para ela e falaram que a gente estaria passando fome'', reclamou Silva.
Rafael diz que não gostou de aparecer como alguém que estava se vitimizando.

''Aquilo começou a me doer, fiquei angustiado'', relatou. Ele conta que o autor da postagem pode não ter tido má intenção, mas que poderia ter perguntado a ele se poderia tirar a foto.

O pai reclama do comportamento dos internautas e avalia que situações de fake news e distorcer a opinião na internet vem ocorrendo desde as eleições.

''As pessoas não estão sabendo usar a internet'', avalia Rafael.

A postagem no Facebook foi feita no dia 3 de janeiro e, na tarde desta segunda-feira (5), já tinha 2.500 comentários e 2.900 compartilhamentos.

Para entender mais detalhes, clique aqui.