Menu
Busca sábado, 14 de dezembro de 2019
Cidade Morena

Reforma da Previdência vai diminuir déficit mensal em Campo Grande, garante João Rocha

"Estamos apenas seguindo aquilo que já acontece em nível federal", destacou o vereador

16 julho 2019 - 17h00Por Nathalia Pelzl e Maressa Mendonça

O presidente da Câmara, vereador João Rocha (PSDB), defendeu o projeto que aumenta a contribuição previdenciária dos servidores públicos municipais, aprovado em regime de urgência nesta terça-feira (16).

Segundo ele, o assunto foi discutido anteriormente com o prefeito Marquinhos Trad (PSD) e a medida foi necessária para diminuir o déficit mensal da previdência em Campo Grande.

“A vontade não é essa, mas a necessidade é a que acabamos de votar e isso tem sido discutido amplamente até na confecção do projeto, que veio extremamente enxuto, onde está muito claro que é a alteração da alíquota de 11% para 14%. Hoje, a prefeitura faz um aporte ao IMPCG, mensal, com R$ 13 milhões de déficit. Então, algumas medidas precisam ser tomadas e nós não estamos inventando a roda. Estamos apenas seguindo aquilo que já acontece em nível federal, que já foi aprovado e também a nível estadual. Ou seja, alíquota de 11% para 14% aos servidores”, destacou.

A proposta foi aprovada com 18 votos favoráveis e 7 contrários. Ao todo, foram 20 assinaturas coletadas para que o projeto fosse votado, já que não estava em pauta para hoje. As emendas dos vereadores foram analisadas pelas Comissões de Finanças e CCJ (Comissão de Constituição e Justiça do Senado), ainda durante a sessão.

A sessão foi conduzida pelo vereador Eduardo Romero (Rede). O presidente  desceu ao plenário para participar da votação. A contribuição dos servidores sobe de 11% para 14%, enquanto a contribuição patronal passa de 14% para 22%.

A medida foi anunciada pelo líder do prefeito na Câmara, vereador Chiquinho Telles (PSD), que durante a sessão foi acusado de "mentiroso" pelo presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Marcos Tabosa.

Votaram contra o projeto os vereadores Valdir Gomes (PP), Fritz (PSD), Ayrton Araújo (PT), André Salineiro (PSDB), Dharleng Campos (PP), Doutor Lívio (PSDB) e Cida Amaral (PROS).

Já os vereadores Gilmar da Cruz (PRB) e João Cesar Matogrosso (PSDB) não compareceram à sessão.