Menu
quarta, 30 de setembro de 2020
Cidade Morena

Reforma da Previdência: opiniões são divididas, mas preocupação é grande com tempo de serviço

Trabalhadores rurais estão mais preocupados com a medida

16 março 2019 - 09h30Por Rodson Willyams

A Reforma da Previdência, que tramita no Congresso Federal, tem provocado diversas preocupações quanto à questão da aposentadoria. O TopMídiaNews foi às ruas de Campo Grande para ouvir o que a população tem para falar sobre a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 6/2019.

A funcionária federal do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) Cecília Faria, 64 anos, concorda com iniciativa proposta pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). "Concordo porque é preciso. No meu caso, eu já poderia estar aposentada, mas prefero ficar na ativa. A medida é válida desde que quem ganha mais pague mais".

Operador de máquinas pesadas, Valeriano Rodrigues, 57 anos, afirmou que o trabalhador vai ter que esperar 'muito tempo' para poder se aposentar. "Sou contratado, contribuo com a previdência, mas não chega ao tempo que eles querem. É muito tempo para se aposentar. Gostaria que o tempo fosse menor e não mexesse com a aposentadoria".

Valeriano Rodrigues, de 57 anos. Foto: André de Abreu.

Matheus Feitosa, de 21 anos, estudante que está desempregado, afirma que é preocupante a questão da aposentadoria. Relata ainda que a mãe Maria, tem 57 anos, e é trabalhadora rural. "Ela viu sobre essa questão e está muito preocupada. Está muito ansiosa e teme ter que esperar mais tempo para poder se aposentar".

O que muda?

O texto elaborado pelo governo propõe idade mínima para aposentadoria para homens (65 anos) e mulheres (62 anos), com contribuição mínima de 20 anos, além de um período de transição. Atualmente, aposentadoria por idade é 60 anos para mulheres e 65 anos para os homens, com contribuição mínima de 15 anos. 

Pela nova proposta, quem ganha um salário mínimo (R$ 998) contribuirá com 7,5% para a Previdência. Acima disso, contribui com 7,5% sobre R$ 998, com 9% sobre o que estiver entre R$ 998,01 e R$ 2 mil, com 12% sobre a renda entre R$ 2.000,01 a R$ 3 mil e com 14% sobre a renda entre R$ 3.000,01 e R$ 5.839,45 (teto do INSS). Dessa forma, um trabalhador que receber o teto do INSS contribuirá com alíquota efetiva (final) de 11,68%.

Leia Também

Oportunidade: JBS oferece vagas em Campo Grande
Oportunidades
Oportunidade: JBS oferece vagas em Campo Grande
Primeiro homem curado de HIV morre de câncer na Califórnia
In Memoriam
Primeiro homem curado de HIV morre de câncer na Califórnia
Mato Grosso do Sul chega perto dos 70 mil casos da covid, mas diminui taxa de contágio
CORONAVÍRUS
Mato Grosso do Sul chega perto dos 70 mil casos da covid, mas diminui taxa de contágio
Ação da ABMCJ lança Observatório das candidaturas de mulheres
Cidade Morena
Ação da ABMCJ lança Observatório das candidaturas de mulheres