Menu
Busca terça, 12 de novembro de 2019
Cidade Morena

Sem poder doar medula para Calebe, mãe quer alguém compatível para livrar seu tesouro da leucemia

Menino tem sete anos e já passou por maus bocados durante os tratamentos

16 setembro 2019 - 07h00Por Thiago de Souza

Família do menino Calebe Gonçalves Macedo, de 7 anos, procura por doadores de meduda óssea para o pequeno, que tem leucemia. Mãe, pai e irmãos não foram compatíveis e agora travam uma luta contra o tempo.

''Só foi 50% [de compatibilidade]'', lamenta a mãe Márcia Macedo, 38 anos, cuidadora de idosos, mas que hoje se dedica integralmente ao filho.

Calebe se trata no Hospital Regional e sofre da doença há 5 anos. A leucemia linfóide aguda/linfoma, que parecia ter sumido, voltou em 2017 e em julho deste ano.

Na rede social, Márcia lamentou não ser a doadora do filho e pediu ajuda.  

''Peço àqueles que puderem ir até ao Hemosul fazer o Teste para Doação de Medula, eu gradeço. Não e só ele que precisa, tem muitos guerreiros que estão na fila. Não deixe esse sorriso apagar e de outros guerreiros também. Peço a Deus forças para continuar porque o baque foi grande'' , escreveu.

Desde que começou o tratamento, Calebe passou maus bocados em hospitais. Já se tratou no Alfredo Abrão e agora no Regional. Em uma ocasião, ficou dois meses internado e chegou a perder os movimentos de uma das mãos.

''...hoje ele está ativo, apesar das sequelas. Nossa luta é por alguém compatível'', apela Maria Macedo.

Ela diz que passa por uma luta, já que não trabalha e gasta muito com transporte, pois o filho não pode andar de ônibus por questões da imunidade. Há ainda os custos com os medicamentos, que são comprados. Maria já criou uma vaquinha social para ajudar o filho com o tratamento.

Quem quiser doar ou pedir informações, o telefone de contato é: 67 9 9161-1916 (Maria Macedo).