Menu
Busca terça, 21 de janeiro de 2020
Cidade Morena

Sindicato de empresas e de motoristas acenam acordo e podem evitar greve

Porém, decisão será levada para assembleias das duas partes

10 dezembro 2019 - 19h12Por Thiago de Souza

Audiência na Justiça do Trabalho selou um pré-acordo entre sindicato que representa empresas do transporte coletivo de Campo Grande e sindicato que defende motoristas do setor. Após a reunião, nesta terça-feira (10), as propostas serão levadas para assembleia e greve pode ser evitada.

Conforme a ata da audiência, a Setur, representada pelo diretor João Resende, esclareceu que as propostas do sindicato patronal feitas anteriormente teriam sofrido um ''desencontro de informações'' que passou a circular em grupos do aplicativo WhatsApp.

Depois dos esclarecimentos feitos, a Setur fez nova proposta, desta vez de reajuste de 3,5% nos salários, aumento do tíquete-alimentação para R$ 286,00 e supressão da rubrica [exclusão] do programa de Participação dos Lucros e Resultados, o PLR.

O Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo Urbano fez duas contrapropostas, sendo a primeira que pede manutenção do PRL nos termos atuais, 3,5% de reajuste e aumento do tíquete-alimentação para R$ 125,00.

A segunda proposta é de excluir o PLR e subir o tíquete para R$ 295,00, garantindo o pagamento desse benefício também nos 90 primeiros dias de afastamento previdenciário, além do reajuste de 3,5%.

As duas proposições foram pré-aceitas pelo sindicato dos empresários e para ser validada, precisa ser aprovada também em assembleia da classe.

As duas partes também concordaram em manter a data-base em 18 de novembro, assim como a manutenção das demais cláusulas sociais, além de determinar a vigência da convenção coletiva de trabalho por 12 meses, a contar a partir de 18 de novembro deste ano.

A assembleia do sindicato dos trabalhadores está marcada para dia 17/12, sem horário definido. Não foi definida data da assembleia do sindicato dos empregadores.