Solurbe - corrida do meio ambiente 18/04 a 08/05
(67) 99826-0686
Reviva centro

Sobrou fogo e faltou água: bombeiros lamentam estrutura para combater incêndio em hotel no centro

Sejusp diz que frota de viaturas de combate a chamas cresceu 83% na atual gestão

24 DEZ 2018
Thiago de Souza
09h30min
Fogo começouo nos fundos do segundo piso Foto: Wesley Ortiz

Incêndio de médias proporções que atingiu o Hotel Nacional, no dia 10 de dezembro, no centro de Campo Grande, expôs a falta de estrutura oferecida para o Corpo de Bombeiros atuar nesse tipo de ocorrência. Hidrantes sem pressão e até caminhão-tanque falharam na hora do fogaréu daquele dia.

Conforme um militar, que não quis se identificar, a corporação enviou quatro caminhões Auto Bomba Tanque, conhecidos como ABT, que carregam água ou outros produtos para combater o fogo.

No entanto, segue o servidor, a quantidade de viaturas não foi suficiente e foi preciso utilizar água dos hidrantes. Só que não! conforme apurado pelo TopMídiaNews na hora do incêndio, hidrantes mais próximos não tinham pressão suficiente para encher o caminhão em tempo hábil. Se os militares esperassem o enchimento naquele momento, o hotel acabaria em cinzas.

Duas carretas-tanques teriam sido solicitadas pelos militares no ato do incêndio, mas não apareceram.
''Será que estão quebradas ou baixadas? É preciso investigar'', questionou o denunciante. Para a Secretaria de Segurança Pública, não havia problemas em relação aos veículos e que na atual gestão foram adquiridos 19 ABTs, ou seja, aumento de 83% da frota.  

A maneira menos difícil de conseguir água foi acionar um caminhão-tanque da concessionária Águas de Guariroba. Isso, porque o veículo desse tipo dos bombeiros quebrou o eixo a quatro quadras do local do incêndio.

Escadas ''Magirus'' poderia ajudar no combate às chamas. (Foto: Wesley Ortiz)

Escada

Escada popularmente conhecida como ''Magirus'', mas que se chama Auto Escada Mecânica M60L é aguardada ''ansiosamente' pela corporação, diz o reclamante. Também poderia ter sido usada no incêndio do hotel, já que a edificação media pelo menos nove metros de altura e o fogo se concentrava nos fundos do estabelecimento, de difícil acesso.   

Conforme a Sejusp garantiu, a escada já está em fase de aquisição e o custo estimado é de R$ 5 milhões. Ela é feita sob medida somente por um fabricante de fora do país e vem por navio. A demora, diz a secretaria, ocorre porque a fábrica pediu mais prazo.

O novo prazo de entrega da escada é abril de 2019. O novo equipamento vai permitir combate à incêndio e abordagem de vítimas em edificações elevadas, de até 60 metros de altura de trabalho. 

Caminhão-tanque quebrou a quatro quadras do local do fogo. (Foto: Repórter Top)

Incêndio

O fogo começou por volta das 15 h no segundo piso do Hotel Nacional, que funciona há 30 anos no bairro Amambai, em Campo Grande. Funcionário disse na ocasião que as chamas começaram no teto do piso superior e pode ter sido causado por algum problema na fiação elétrica.

As chamas, iniciadas nos fundos do hotel, foram se espalhando em direção a fachada da estrutura, que fica na rua Dom Aquino. Janelas estouraram e quartos dos hóspedes foram totalmente consumidos pelo fogo. Ninguém ficou ferido. Os clientes tiveram perdas materiais.

Duas horas depois, e com muito esforço, os bombeiros conseguiram controlar o incêndio. O teto do segundo piso desabou ao final do trabalho dos militares.
 

Veja também