TCE - Agosto
Prof Rinaldo
(67) 99826-0686
Câmara Municipal

Testemunha de tragédia desabafa sobre demora no socorro na BR-163; CCR rebate críticas

Motorista diz que vítima chegou ao hospital às 17h e CCR MSVia fala em 16h35

16 MAI 2019
Thiago de Souza
09h30min
Foto: Divulgação Polícia Civil

Batida frontal entre um Virtus e uma BMW, na tarde da última sexta-feira (10), na BR-163, deixou uma gestante de 19 anos morta e vários feridos, entre Jaraguari e Bandeirantes. Uma testemunha da tragédia critica a concessionária que administra a rodovia, a CCRMS Via, porque o socorro a um dos sobreviventes teria demorado cerca de três horas.

O relato da testemunha foi feito no Grupo do Facebook Aonde Não Ir em Campo Grande. Ele diz que a colisão ocorreu por volta das 14h, mas que uma das vítimas só foi chegar à Santa Casa de Campo Grande, por volta de 17h.

''Fica a pergunta: hoje ele está num quadro grave, será que se houvesse agilidade ele não estaria melhor e fora de perigo?", questiona o envolvido.

O denunciante diz ainda que, diante da demora no socorro, a esposa de uma das vítimas teria sugerido chamar uma ambulância particular, no entanto, isso não teria sido autorizado pelos socorridas da CCRMSVia.

''O pedágio de R$ 6,10 pagamos religiosamente, então fica a minha indignação pela demora'', publicou o internauta.

Ainda segundo o comunicante, outros motoristas que pararam na via por conta do acidente também concordaram sobre a demora no atendimento aos acidentados. Ele destacou o fato também de outras vítimas do acidente terem sido encaminhadas para socorro em Bandeirantes, mesmo aparentando estar em estado mais delicado de saúde.

Resposta

A CCR MSVia esclareceu que, na ocasião do acidente, o socorro foi prestado de acordo com protocolos internacionais, que orienta a triagem das vítimas de forma dinâmica e eficaz.

A empresa acrescenta que, no dia 10, foi acionada por volta de 14h15 e chegou ao local por volta de 14h21. Os encaminhamentos aos hospitais de Bandeirantes e Campo Grande foram feitos de acordo com regulação do Samu.

Sobre a vítima apontada pelo internauta, a concessionária disse que ''a ocorrência de Atendimento Pré-Hospitalar se encerrou no local às 15h44, quando a mesma foi estabilizada e removida para a Santa Casa de Campo Grande, chegando ao local às 16h35 (em 51 minutos). Portanto, a viatura de resgate percorreu uma distância de 57 quilômetros, considerando o tráfego urbano, em menos de 1 hora''.

A CCR MSVia informou ainda se solidarizar com todos os familiares envolvidos no acidente e se coloca à disposição para eventuais esclarecimentos.

Vítimas

Além da gestante que morreu, Lilyan Cocco Kumbier, outras quatro pessoas ficaram feridas.

No Virtus, além Lilyan, estava um jovem de 20 anos, que era o condutor, uma mulher de 48 anos e um homem de 70. Na BMW estava apenas o condutor, que é médico em Campo Grande. Não se sabe a qual das vítimas o denunciante se refere.

A batida teria ocorrido durante uma tentativa de ultrapassagem do Virtus.

Veja também