Menu
segunda, 26 de julho de 2021
PMCG REFIS 16 A 29/07
Cidade Morena

UBSF da Vila Fernanda se transforma em unidade da 'falta' em Campo Grande

Segundo os moradores, falta dentista, falta médico, falta geladeira para vacinas

07 abril 2019 - 07h00Por Dany Nascimento

Os moradores do bairro Celina Jallad vivem caos diariamente ao buscar atendimento na UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) que existe na região. De acordo com Simone Feitosa da Silva, 31 anos, que procurou atendimento no início do mês na unidade, o gerente teve que substituir recepcionistas e comunicou a falta de médicos para atender a população.

“Primeiro o gerente falou que as recepcionistas estavam atrasadas, mas logo chegariam. Depois, às 8 horas, ele começou a atender explicando que não temos atendimento de dentista e falou que as recepcionistas do local estavam de atestado e não prestariam atendimento no local”, explica Simone.

Além disso, a dona de casa destaca que a geladeira onde ficam as vacinas, voltou a apresentar defeito e o serviço está suspenso. “De novo, toda semana a geladeira estraga lá. Procuramos atendimento e eles falam que apenas moradores da Vila Fernanda que podem ser atendidos, a não ser que seja um caso muito grave, caso contrário, não terá atendimento”.

Ela destaca ainda, que por falta de folha sulfite, só conseguiu pegar o exame do filho agora. “Eles disseram que não tinha folha, tive que voltar hoje para pegar os exames. Mas não adianta muito, porque não tem médico para ver o resultado do exame de sangue do meu filho”.

Outra moradora que encontrou problemas no local foi Sheila da Silva, 30 anos, mas ela teria sido atendida pelo amigo do gerente. “Conhecemos o gerente, sabemos quem é ele. Quem me atendeu lá se identificou como amigo do gerente, dizendo que não trabalho no local e que estava apenas ali naquele dia ajudando. Falta tudo ali, funcionário, médico, geladeira para vacina que estraga toda semana”.

Além disso, ela flagrou a funcionária deixando o trabalho de lado e mexendo no celular em horário de expediente. “Tinha muita gente para atender, mas ela ficava só mexendo no celular. Parava toda hora para mexer no telefone, teve gente que devolveu a senha e foi embora sem atendimento”.

Para Viviane Ferreira, 27 anos, a solução seria voltar a oferecer atendimento para os moradores no bairro Portal Caiobá I. “Lá tinha atendimento excelente, era muito bom, tem dentista, tem médico, a saúde funciona. Agora procuramos atendimento lá, mas eles falam que não podem atender porque somos da Vila Fernanda, onde não tem nada de médico”.

Prefeitura

O TopMídiaNews entrou em contato com a prefeitura, que informou que convocou médicos para atuar no local e nega a falta de papel sulfite na unidade. "A unidade está com dois médicos atendendo e com um déficit de apenas 1 profissional. Foram feitas convocações de novos médicos nas últimas semanas e a previsão é de que a unidade seja contemplada nos próximos dias. O serviço de imunização da unidade está funcionando normalmente. Houve um problema pontual de falta de reposição registrado no mesmo passado, porém já foi normalizado. A unidade conta com câmara fria para acondicionar as vacinas. Também não há falta de papel sulfite na unidade. Lembrando que resultados de exames ambulatoriais podem ser consultados através da internet, sem necessidade de deslocamento até a unidade ou impressão do mesmo".

 

Matéria editada às 10h18 para acréscimo de informações

Leia Também

Greve de caminhoneiros contra Bolsonaro fracassa e 'vira piada' na maior parte do País
Geral
Greve de caminhoneiros contra Bolsonaro fracassa e 'vira piada' na maior parte do País
Adolescente mentiu sobre estupro em carro de aplicativo em Campo Grande, revela delegada
Polícia
Adolescente mentiu sobre estupro em carro de aplicativo em Campo Grande, revela delegada
Rapaz se masturba para adolescentes em praça e vai preso em Bataguassu
Interior
Rapaz se masturba para adolescentes em praça e vai preso em Bataguassu
Frente fria que vai deixar MS com 1°C será mais duradoura que as anteriores
Cidades
Frente fria que vai deixar MS com 1°C será mais duradoura que as anteriores