Menu
quinta, 25 de fevereiro de 2021
Cidade Morena

Vida difícil: mais de 50% dos mototaxistas desistiram da profissão em Campo Grande

Chegada dos aplicativos de corrida e 'concorrência desleal' teriam sido motivos para queda nas corridas

23 fevereiro 2021 - 07h00Por Vinicius Costa

A vida dos mototaxistas parece ter sofrido uma mudança radical nos últimos anos em Campo Grande. Com a desigualdade sofrida pelo alto número de motoristas de aplicativo nas ruas, a desistência dos trabalhadores foi alta e a queda chegou a ser de 50%.

O presidente do Sindicato dos Mototaxistas de Campo Grande, Dorvair Boaventura de Oliveira Caburé, de 53 anos, explicou que a maioria dos 600 profissionais, até então na cidade, havia desistido da profissão. "A vinda do aplicativo reduziu bastante", destacou.

Na visão do sindicalista, o mercado é justo, mas a disputa com os outros modelos de prestação de serviço chega a ser desleal, incluindo a diferença entre os números de motoristas e mototaxistas.

Caburé ainda relata que a fatia era sempre dividida entre os taxistas e mototaxistas, mas com a chegada dos aplicativos, em 2016, desde então, a queda tem sido frequente no número de profissionais nos dois setores.

"A disputa tem que ser leal para todo mundo. Não tem equilíbrio financeiro, não tem mercado", lamenta. O sindicalista lembra que os impostos e as taxas diferem e isso acaba prejudicando os trabalhadores.

"A gente tem tentado, buscado alternativa, implantando aplicativo e dando desconto na corrida", complementa Dorvair Caburé.

O presidente ainda dispara contra o poder público, que não consegue colaborar para manter uma disputa justa entre os mercados. "O transporte regulamentado em Campo Grande quebrou".