Menu
quarta, 25 de novembro de 2020
Cidades

Prefeitura terá de abrir mão de terceirizados para efetivar concursados

Efetivos

18 dezembro 2013 - 12h10Por Ana Rita Chagas e Lucas Arruda

A Prefeitura Municipal de Campo Grande  não poderá efetuar a contratação de profissionais da educação. Uma ação civil acionada pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul obriga a Prefeitura Municipal de Campo Grande efetuar a contratação dos 281  professores aprovados no concurso público de 2009.

A petição é assinada por três promotores que solicitam  a suspensão das contratações temporárias até que seja efetuada a convocação dos remanescentes do concurso que vence em janeiro de 2014.

No documento, os promotores de Justiça de Defesa do Patrimônio e Social de Campo Grande Fabrício Proença de Azambuja, Alexandre Pinto Capiberibe Saldanha e Henrique Franco Cândia solicitaram  a suspensão da contratação de professores temporários para o preenchimento de vagas puras. De acordo com o MPE, a Prefeitura convocou 1.406 docentes para preencher vagas puras, que poderiam ser preenchidas pelos concursados. 

Leia Também

Presidente da Fundação Palmares ataca: 'morto no Carrefour não era preto honrado'
Geral
Presidente da Fundação Palmares ataca: 'morto no Carrefour não era preto honrado'
Brasil tem 654 mortes por covid em 24h, diz Ministério da Saúde
Geral
Brasil tem 654 mortes por covid em 24h, diz Ministério da Saúde
OAB-MS pode suspender advogado que pagou para estuprar meninas de 11 e 12 anos
Interior
OAB-MS pode suspender advogado que pagou para estuprar meninas de 11 e 12 anos
Perigo: Valley mantém balada mesmo com alta nos casos de covid
Cidade Morena
Perigo: Valley mantém balada mesmo com alta nos casos de covid