Menu
segunda, 17 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Cidades

Agentes penitenciários decidem paralisar atividades no dia 20

16 dezembro 2015 - 20h00Por Alessandra Carvalho

Os agentes penintenciários do Estado vão realizar, na próxima segunda-feira (20), uma paralisação de advertência, com duração de 96 horas. Eles reivindicam o cumprimento de um acordo que vem sendo pedido há um ano e deveria ter sido cumprido até o primeiro trimestre deste ano.



O presidente do Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária do Estado de Mato Grosso do Sul, André Santiago, afirmou que existem vários motivos para o ato, que vão desde a questão salarial até as condições de trabalho.

"O valor do salário de um agente penitenciário iniciante e de R$ 2.940 e a intenção e comparar com o salário da polícia civil que chega a ganhar R$ 3.668 na carreira inicial. Uma hora antes dessa assembleia estava reunido com o governo e não houve nenhum acordo ".

Foto: Landerson Ricardo

 

O Governo quer acordo para o trimestre de 2016 e devido a situação critica o sindicato não querem ficar que o efetivo de dois agentes penitenciários  cuidando de 900 detentos como ocorre em dois pavilhões do Presídio de Segurança Máxima da Capital. "No  PED (Presídio Estadual de Dourados), também e outra situação critica. Somos a 4ª Maior situação carcerária do país. A nossa realidade e apresentar propostas que amenizem a nossa caótica realidade e corrijam as distorções  históricas que afetam a nossa carreira".


Em Mato Grosso do Sul são 1480 agentes penitenciários para vigiar 14.500 mil detentos.  O agente penitenciário Carlos Augusto Queiroz de Mendonça, 44 anos, foi morto a tiros , no dia (11) de fevereiro na frente do Estabelecimento Penal de Regime Aberto e Casa do Albergado de Campo Grande.  


Carlos se preparava para deixar o posto de trabalho, Carlos Augusto foi surpreendido por um homem encapuzado que disparou quatro tiros, três deles acertaram a vítima no tórax. O Corpo de Bombeiros e o Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) fizeram o socorro, mas o agente morreu no local. Apenas dois servidores faziam a guarda do local que alberga 404 homens.