ENTREGAS
(67) 99826-0686
Reviva centro

Campo Grande será a primeira capital do país a sediar núcleo de inteligência integrada

Porém, número de agentes federais e estaduais ainda não foi divulgado

6 SET 2016
Thiago de Souza
19h01min
Núcleo vai integrar ações forças nacionais e estaduais Foto: Foto: Geovani Gommes

Campo Grande será a primeira capital do país a receber um dos cinco núcleos de inteligência projetados pelo Governo Federal para reforçar a segurança e combater o tráfico de drogas e armas nas fronteiras.  O serviço vai integrar as ações da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, polícias militar e civil. O número de agentes que irão atuar em Mato Grosso do Sul ainda não foi divulgado. 

A informação foi repassada pelo ministro da Justiça Alexandre de Moraes ao governador Reinaldo Azambuja, durante audiência no ministério, nesta terça-feira (6). 

Segundo o Notícias MS, Azambuja foi a Brasília relatar as dificuldades para custear o sistema prisional, devido ao crescimento da população carcerária.

“O ministro Alexandre de Moraes nos garantiu que após as Paralimpíadas vai determinar o deslocamento de um contingente da Força Nacional para fortalecer a segurança na fronteira e anunciou que o primeiro dos cinco núcleos de inteligência que o Governo Federal vai instalar em todo País será montado em Campo Grande”, informou o governador Reinaldo Azambuja após a audiência.

Ainda segundo prometido ao governador de MS, o governo vai abrir pregão para a aquisição de tornozeleiras eletrônicas, a fim de desafogar os presídios do estado. Para o governador, o justo é que uma parte dos presos seja transferida aos presídios federais e a União ajude na manutenção da massa carcerária. 

Em razão da peculiaridade geográfica – 1.500 quilômetros de fronteiras, sendo 1.131 km com o Paraguai e 386 quilômetros com a Bolívia – Mato Grosso do Sul está entre os Estados que apreendem grandes volumes de drogas. De acordo com a Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), só no primeiro semestre de 2016 foram apreendidas mais de 150 toneladas de drogas. 

Veja também