TJMS - novembro
Menu
Busca terça, 19 de novembro de 2019
Cidades

Comerciantes da Moreninha II comemoram o crescimento econômico da região

Regiões de Campo Grande

20 dezembro 2013 - 06h00Por Aline Oliveira

Dando continuidade ao especial “Regiões de Campo Grande”, a reportagem do Top Mídia News visitou o comércio do bairro Moreninha II e conversou com empresários do centro comercial da Rua Anacá. Todos foram unânimes em afirmar que a maior conquista para a população seria a construção da estrada que liga as Moreninhas ao centro da cidade.

 

Um dos entrevistados foi Hélio Taveira que é proprietário do supermercado Duarte, em funcionamento há cinco anos. “Este é nosso segundo ponto e chegamos aqui em razão do desenvolvimento da região. Estamos satisfeitos com o resultado e as conquistas da comunidade não param, já que podemos contar também com duas agências bancárias. Esperamos agora a construção da estrada, solicitada a bastante tempo”, relatou.

 

Outro empresário que ‘fincou raízes’ no bairro, foi Valdomiro Silvestre Passos. Vai completar 10 anos que chegou com a família do município de Ribas do Rio Pardo, se estabeleceu e abriu uma loja de materiais de construção e utilidades diversas. “Considero que cresci junto com a Moreninha nestes 10 anos, pois, tenho meu negócio, faço o que gosto e minha família toda trabalha comigo. Meu comércio está entre os mais antigos e hoje colhemos o fruto de um um trabalho realizado com dedicação”, revelou.

 

Passos destacou que ao longo do tempo que está na Capital fez muitas amizades no bairro e tem muito orgulho de residir na Moreninha. “Quem mora longe daqui ainda julga a região pelo passado, mas todo bairro novo enfrenta problemas. Este lugar é tranquilo e bom demais para se morar. Quando eu vou ao centro e me perguntam onde moro, eu digo: moro num paraiso chamado Moreninha. As pessoas riem, mas eu não ligo”.

 

Velha Guarda – O conselheiro regional e comerciário José Jacinto Deluna Neto mora na Moreninha II desde 1988, já foi proprietário de uma farmácia em sociedade, vendeu e hoje trabalha na rede Farma Mais, também na Rua Anacá. Ele contou que neste período de atuação no comércio foi testemunha do desenvolvimento progressivo da região. “A Moreninha teve um grande ‘boom’ nos últimos dez anos e para melhor é claro. Quando cheguei aqui o comércio era fraco, sem opção e hoje temos de tudo, muitas pessoas não precisam sair daqui para cuidar dos seus compromissos”, avaliou.

 

Na opinião de Neto, a parte social melhorou bastante, mas falta ainda melhorar a saúde e a segurança pública ser mais ostensiva. “Nosso bairro é muito tranquilo, aqui moram pessoas trabalhadoras e que querem se sentir seguras. Outro ponto que considero crucial é a construção da estrada de ligação ao centro, pois nos sentimos isolados com apenas uma entrada e saída”, revelou.

 

Em contrapartida, Jorge Tauri de Oliveira que mora há 30 anos no bairro e possui uma conveniência há oito meses alerta para o retorno da marginalidade que deve ser controlado. “Nós vivemos muitos anos em paz aqui na Moreninha, no entanto, temos visto pessoas de outras localidades vir aqui com objetivo de assaltar e usar drogas. Fico indignado com isso e muitas vezes eu mesmo chamo atenção dos usuários. É preciso ficar claro que nossa região é tranquila e ordeira e pessoas de fora tem que ser contidas, se chegarem para causar desordem”, critica.