Menu
sábado, 05 de dezembro de 2020
Cidades

Comissão aceita proposta que repassa para empregador custeio integral do vale-transporte

Empregado

26 outubro 2013 - 07h39Por Agência Câmara

Comissão de Legislação Participativa aprovou a Sugestão 76/13, que acaba com a participação dos trabalhadores no custeio do vale-transporte. O Sindicato dos Trabalhadores de Serviços Gerais Onshore e Offshore de Macaé, Casimiro de Abreu, Rio das Ostras, Conceição de Macabu, Quissamã e Carapebus/RJ sugeriu e conseguiu transformar em Projeto de Lei.

Hoje, o trabalhador contribui com 6% do salário básico para o custeio do vale-transporte. O resto é pago pelo empregador. Pelo projeto, o empregador arcará com os gastos totais de deslocamento do trabalhador e, em troca, poderá deduzir esses gastos como despesa operacional.

O Sindicato argumenta que o valor pago pelos empregados é muito alto. O valor incidente sobre o salário mínimo é suficiente para comprar uma cesta básica para a família, segundo dados apresentados pela instituição.

O relator, deputado Professor Setimo (PMDB-MA) votou a favor da sugestão que, segundo ele, pode ajudar a diminuir os gastos com transporte.

“O impacto no orçamento familiar para o custeio do transporte, necessário para ir e vir ao trabalho, é elevado. O valor é equivalente a quase dois dias de trabalho ou 1/15 (um quinze avos) do rendimento mensal dos trabalhadores”, argumentou.

Leia Também

Sobe para 18 número de mortos em acidente de ônibus em Minas Gerais
Geral
Sobe para 18 número de mortos em acidente de ônibus em Minas Gerais
Motociclista perde controle de moto em chuva e garupa morre na BR-267
Interior
Motociclista perde controle de moto em chuva e garupa morre na BR-267
Baile funk e festas são interditados em Campo Grande
Cidades
Baile funk e festas são interditados em Campo Grande
Wantuir matou ex-sogra e agora acabou com a vida de Fabiana, que deixa dois filhos
Polícia
Wantuir matou ex-sogra e agora acabou com a vida de Fabiana, que deixa dois filhos