Menu
quinta, 26 de novembro de 2020
Cidades

Conselheiro das Moreninhas denuncia descaso do poder público com a região

Regiões de Campo Grande

19 dezembro 2013 - 06h00Por Aline Oliveira

 

Neste especial “Regiões de Campo Grande”, vamos visitar os bairros e vilas mais populosos da Capital e falar dos problemas estruturais e sociais enfrentados. O primeiro local, foi a região das Moreninhas que compreende Moreninha I, II, III, IV e o bairro Cidade Morena, contabilizando mais de 60 mil habitantes e localizada na região Sul da cidade.

 

Um morador que conhece como poucos a situação é o presidente do Conselho Gestor de Saúde das Moreninhas e conselheiro regional há 15 anos, Jurandir Domingues Oliveira, um dos fundadores do primeiro loteamento, a Moreninha 1, há 32 anos. Ele destaca que a região está esquecida pelo poder público e isolada pela falta da estrada de ligação solicitada pelos representantes comunitários desde 2004.

 

“Observamos o desenvolvimento de vários bairros de Campo Grande, com construção de avenidas, parques lineares e pavimentação asfáltica. No entanto, aqui pouco tem sido feito, enfrentamos o descaso no setor de saúde, como a UPA que iniciou a construção em 2011 e até hoje não foi concluída, a estrada solicitada pela comunidade há quase uma década e ficamos aqui isolados e só com uma saída do bairro, a Avenida Gury Marques”, explicou Oliveira.

 

O conselheiro reforça que a luta é grande e lenta, já que a UBS (Unidade Básica de Saúde), o CRS (Centro Regional de Saúde) e o Hospital da Mulher estão em condições lastimáveis, necessitando de reforma, aparelhamento e funcionários. Ele alega que o problema seria minimizado com a inauguração da UPA. “Falaram que a UPA iria inaugurar agora em dezembro, mas acho difícil, pois, falta ainda cercar, colocar piso e aparelhar. Com isso, os outros locais ficam sobrecarregados para atender a população. Foram contratados mais médicos, isso temos que falar, mas faltam os técnicos para auxiliar e assistentes sociais também. Sem eles, os médicos têm o trabalho prejudicado”, diagnosticou.

 

Oliveira ressaltou ainda que vários ofícios foram encaminhados ao poder público municipal e estadual solicitando providências, mas não receberam respostas para nada. “Trabalho há 15 anos neste segmento que é a saúde e confesso que estou cansado com tanto abandono. A comunidade vem e pergunta como estão as coisas, o que está sendo feito e ficamos de mãos atadas, isso magoa muito a gente”, desabafou.

 

Administração municipal – O conselheiro questionou que a nova administração está completando um ano e nada foi feito para o local. “Está completando um ano da nova administração e não conseguimos falar com ninguém, estamos muito decepcionados. Nossa esperança é que os dois vereadores eleitos pela região possam encaminhar  as solicitações e realizar projetos, porque o que tenho visto é tudo parado, sem encaminhamento. Precisamos que os vereadores tenham acesso ao prefeito para conseguirmos reivindicar e ser atendidos”.

 

Com relação ao controle da dengue, Oliveira elogia a atuação dos agentes de saúde e frisa o envolvimento da população. “Olha, um dos poucos serviços que funcionam aqui é o controle da dengue. Temos bons agentes de saúde que cuidam e fiscalizam, além disso, o povo se conscientizou da necessidade de prevenir a criação de focos do mosquito. Também contamos com apoio da Funasa, enfim, todos colaboram para que a doença não prolifere por aqui”, declarou.

 

Expectativa – Questionado sobre as necessidades mais urgentes da região, o conselheiro afirmou que são três: a centralização do setor de saúde e a criação de uma UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família), a conclusão e funcionamento do polo industrial das Moreninhas e a construção da estrada de ligação do bairro ao centro da cidade.

 

“Temos que organizar a saúde da região, pois, doente ninguém trabalha. Já encaminhamos um projeto para criar um complexo de saúde, na área da UPA, UBS, CRS e Hospital da Mulher. Outro ponto muito importante é o polo industrial que se entrar em funcionamento trará desenvolvimento e empregos para os moradores que não terão de se deslocar para outros bairros para trabalhar. Por último e não menos importante, a estrada das Moreninhas que está emperrando o desenvolvimento, a ligação entre os bairros e a construção do shopping popular”, finalizou.

Leia Também

Mãe e bebê de dois meses morrem após carro bater em coqueiro em Bonito
Interior
Mãe e bebê de dois meses morrem após carro bater em coqueiro em Bonito
Tumor retirado da cabeça de prefeito de Coxim é benigno, dizem médicos
Interior
Tumor retirado da cabeça de prefeito de Coxim é benigno, dizem médicos
Presidente da Fundação Palmares ataca: 'morto no Carrefour não era preto honrado'
Geral
Presidente da Fundação Palmares ataca: 'morto no Carrefour não era preto honrado'
Brasil tem 654 mortes por covid em 24h, diz Ministério da Saúde
Geral
Brasil tem 654 mortes por covid em 24h, diz Ministério da Saúde