(67) 99826-0686
ALMS 13/06 a 12/07

Obra no Residencial Azaléia tem mais de um ano e ainda está sem data prevista para o término

Denúncia

22 JAN 2014
Ana Rita Chagas
07h15min
Foto: Geovanni Gomes

Abandono. Essa é a imagem que se vê da obra localizada no quadrilátero que compreende as ruas Drº Miguel Vieira Ferreira, Pétreo, Riverside e Santa Elvira, do Conjunto Residencial Azaléia. O mato alto tomou conta da construção da UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) que teve início em 2012 para também atender os moradores da Vila Cox, Santa Luzia e Vila Dedé.

A reportagem esteve no local e constatou que além da braquiária, que circunda a obra, o local também serve como depósito de entulho. O receio dos moradores é quanto à sujeira do terreno que, segundo eles está servindo como criadouro de mosquito. “Nós já reclamamos. Toda vez que chove o mato cresce mais ainda. Na eleição passada eu disse que iria fiscalizar os trabalhos da prefeitura na nossa região e estou fiscalizando, até agora não vi nada”, critica a dona de casa, Elice Santos de 54 anos.

Ela e o marido, o aposentado Fábio Gomes dos Santos, 62, entraram na estatística da dengue e atribuem a doença à falta de manutenção do terreno. “Tem muito mosquito aqui. Minha mulher pegou dengue e eu também tudo por causa desse matagal. Nos  disseram que essa unidade seria inaugurada em dezembro, mas, até agora nada”,  dispara Santos.

De acordo como os moradores, caminhões que prestam serviço para a prefeitura também estão descarregando entulho na área. “É um descaso.  Não vou ficar aqui repetindo que pago impostos. Quero reclamar do descaso que está em nossa região, o mato no terreno que é da prefeitura está passando de 2,50m, já encontramos ratos, cobras e diversos animais peçonhentos por aqui, algo que nunca aconteceu’, dispara outro morador, Fernando Matias.

Sem previsão – Procurada pela reportagem, a assessoria da prefeitura informou que ainda não foi divulgado o cronograma de obras para 2014, portanto não há uma data prevista para o término da obra. Quanto a sujeira do local, a assessoria também informou que equipes da prefeitura estão percorrendo diversas áreas da cidade para fazer o mutirão de limpeza, mas, até agora nenhuma equipe foi designada para o referido local.

Com relação a solicitação de limpeza  de terrenos baldios, a assessoria orientou para que os moradores entrem em contato com a Semadur (Secretaria Municipal de Meio ambiente e Desenvolvimento Urbano), pelo número 156. A construção da UBSF do Conjunto Residencial Azaléia foi licitada em 2012, com assinatura da ordem de serviço para a empreiteira vencedora do certame.

Veja também