Menu
sábado, 24 de julho de 2021
PMCG REFIS 16 A 29/07
Cidades

Para sociólogo lei que proíbe designar locais públicos com nomes de torturadores é impedir prestígio

Resquícios da memória

13 janeiro 2014 - 07h00Por Ana Rita Chagas

O regime autoritário que governou o Brasil entre os anos de 1964 a 1985 ainda continua na memória de quem presenciou perseguições e desaparecimentos de amigos e familiares.

Como forma de evitar homenagens àqueles que causaram tristeza e dor, vigora desde o último dia 7 de janeiro no município de Campo Grande a lei que proíbe homenagens públicas com nomes de torturadores e de pessoas que tenham praticado atos de lesa-humanidade, violação de direitos humanos e envolvidos em crimes de corrupção. “ Não faz sentido uma pessoa que provocou agressões físicas, sofrimento receber uma homenagem em local público. A democracia não pode prestigiar a ditadura. Só quem viveu aquela época sabe o que isso realmente significa ”afirma o sociólogo Paulo Cabral.

Pela matéria, a proibição vale para homenagens como denominação de ruas e equipamentos públicos, praças, parques e edifícios e para condecorações oferecidas por quaisquer esferas do Poder Público Municipal.

De acordo com a medida, a prefeitura deverá alterar gradualmente os nomes de ruas que estejam em desacordo com a Lei. Os nomes deverão ser substituídos pelos nomes das pessoas que foram vitimadas por ocasião das agressões sofridas. ‘Acredito que a lei é muito justa e apropriada. É um crime prescrito e temos  de banir esses carrascos da nossa memória num momento em que a sociedade se estabelece em uma ordem democrática “, ressaltou Paulo Cabral.  

Com a nova lei, as propostas para denominações com nomes de pessoas dependerão das Comissões Permanentes: de Cultura, Defesa do Consumidor, Cidadania e Direitos Humanos e Segurança Pública da Câmara Municipal de Campo Grande, as quais obrigatoriamente analisarão o histórico do homenageado.

Leia Também

Funcionário de atacadista é atropelado e morre na Gury Marques
Cidade Morena
Funcionário de atacadista é atropelado e morre na Gury Marques
Pai e irmã tentam separar briga de homem com namorada e acabam socados em Dourados
Interior
Pai e irmã tentam separar briga de homem com namorada e acabam socados em Dourados
Traficante capota carro com 1,3 tonelada de maconha em Naviraí
Interior
Traficante capota carro com 1,3 tonelada de maconha em Naviraí
Empresário inventa assalto para não pagar funcionários e é desmascarado em Bataguassu
Interior
Empresário inventa assalto para não pagar funcionários e é desmascarado em Bataguassu