TCE JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
terça, 28 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Cidades

Em tempos de covid, técnicos em necropsia pedem reconhecimento: 'somos linha de frente também'

Eles manipulam cadáveres frutos de mortes não violentas

04 maio 2020 - 07h00Por Thiago de Souza

O técnico em necropsia, Jean Correa Silva, refletiu sobre o trabalho que ele e os colegas realizam nos hospitais, principalmente nos tempos da pandemia da covid-19. Os profissionais exigem regulamentação da atividade e se consideram ''linha de frente'' no combate à doença, assim como médicos e enfermeiros. 

Jean destacou que profissionais como ele lidam com cadáveres, muitas vezes infectados com doenças transmissíveis. Também promovem coleta de materiais desses corpos, o que traz riscos à saúde, ainda que com equipamentos de proteção individual. 

''Mas ninguém olha pra gente. Detalhe, não somos considerados nem da Saúde… Somos classificados como administrativos'', lamentou o técnico. 

''Somos as pessoas mais expostas neste tempo de covid. Temos de abrir cadáveres e se o morto está com covid, então enfrentamos riscos'', acrescentou novamente Silva. 

Jean luta por reconhecimento profissional. (Foto: arquivo pessoal)

Pandemia

Desde o início da pandemia, médicos e outros profissionais da saúde, como enfermeiros, têm recebido homenagens da população pela luta diária no combate ao novo coronavírus. 

Na visão de Jean, o fato de não ser classificado como profissional de saúde o faz perder benefícios e melhorias para a categoria. 

''Trabalhamos em regime de 24 horas e não temos direito a uma escala igual a dos profissionais da Saúde'', relatou. 

Projeto de lei 

Em 2018, o PL 10.674, de autoria do deputado Ricardo Izar, passou a tramitar na Câmara dos Deputados. Um ano depois, ele foi apensado (juntado) a outro projeto semelhante, do deputado Juninho do Pneu. 

A proposta de lei é a mesma, de regulamentar a atividade de técnico em necrópsia e dar outras providências. No entanto, os projetos estão parados nas comissões da Casa aguardando tramitação. 

Jean conta que já pediu apoio de deputados estaduais e federais para a proposta, mas que não teria tido resposta sobre o caso.