Menu
segunda, 17 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Cidades

'Estenda a mão': asilo pede ajuda para seguir atendendo em Campo Grande

01 novembro 2015 - 14h02Por Mariana Anunciação

Atualmente 86 pessoas, sendo 45 homens, contam com o cuidado diário de equipes multifuncionais do Asilo São João Bosco – A vida continua, localizado na Avenida Nogueira Vieira, no Bairro Tiradentes, em Campo Grande. Para manter a assistência de qualidade, os dirigentes da instituição lançaram a campanha “Estenda a mão e ajude” para você se tornar um doador e padrinho de algum idoso, que realmente precisa da solidariedade alheia.

Os abrigados são idosos em situação de risco, que chegam até à instituição por meio de Ordem Judicial, SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social) e avaliação da equipe técnica do asilo. O coordenador do local, Renato Barreto, contou que a tipificação de asilo remete ao fato de prestar serviço social e médico. Além disso, o custo de um idoso varia mensalmente entre R$ 3.5mil a R$ 6 mil, sem contar com as complicações médicas.

“Há 3 graus de necessidades dos idosos, 95% dos nossos assistidos são de grau 2° e 3°. Precisam de cuidados especiais na área da saúde, muitos são acamados, usam sondas, necessitam de internações, fazer exames, medicamentos caros. Conforme a idade avança, os problemas também”, destacou o coordenador.

Orçamento

O coordenador informou que há várias fontes de receita sendo uma do Governo Federal (R$ 8 mil); duas da Prefeitura Municipal (no valor de R$ 42.500 mil cada); da Unidade de Capacitação de Recursos (doações) e aposentadoria de alguns aposentados (70% do salário de alguns idosos). O repasse do governo está em dia, mas a prefeitura ainda falta quitar os débitos dos meses de setembro e outubro, deste ano. O asilo informou que estão em negociação, já que o Município se comprometeu a efetuar o pagamento após prestação de contas.

Apesar de o montante aparentar ser alto, o coordenador justifica a atual crise. Já que o asilo deve prestar serviço de assistência social (oferecendo água, alimentação, produtos de limpeza, cuidadores, motorista, recursos humanos e outros) e de saúde (com equipe médica, acompanhamento de nutricionista, enfermagem, fisioterapia e entre outros).

Para se ter uma ideia dos custos, apenas a folha de pagamento do ano de 2014 dos cuidadores foi de R$ 726.398,27 mil. “Nunca cobre todos os custos. Independente do motivo que o idoso chegou aqui, ele é um ser humano e quem cuida de gente é gente. São humanos que dependem de cuidados especiais”, concluiu.


Serviço

Telefone: (67) 3345-0500

Doação via boleto bancário ou débito automático

Caixa Econômica Federal:

Agência 3144   Conta Corrente 003264-6