TCE MAIO
(67) 99826-0686
Camara Maio

Fetems e governo não chegam a acordo

Piso salarial

2 DEZ 2013
Juliene Katayama
13h59min

O governador André Puccinelli (PMDB) recusou a proposta da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems) para instituir a política salarial para o magistério. A reunião aconteceu na manhã desta segunda-feira (02). Sem acordo firmado, a greve marcada para amanhã continua.

"Ele nos chamou para a briga", afirmou o presidente da Fetems, Roberto Magno Botareli Cesar. O impasse entre a Fetems e o governo é o período e o percentual para implementar o Piso Nacional por 20 horas. A instituição pediu o reajuste de 72,5% do piso salarial para um período de três anos a começar em 2014. Já o governo manteve a proposta de 69,27% por oito anos a iniciar em 2015, após o fim do atual mandato.

"Compromete dois governos e o André nem vai arcar com nada", reclamou o presidente da Fetems. Segundo ele, o impacto é seria de R$ 140 por trabalhador da educação.


A mobilização que será realizada nesta terça-feira (03), em Campo Grande, tem o objetivo de repudiar a falta de sensibilidade e compromisso do governo com a valorização dos trabalhadores em educação. “Vamos ocupar as ruas de Campo Grande para defender nossa posição em lutar pela valorização profissional da categoria e por uma Educação Pública de qualidade. Temos o compromisso pelo reconhecimento e a valorização dos profissionais em educação”, afirmou Roberto.

Botareli destacou que a luta da Federação é por uma política salarial justa que respeite os critérios reivindicados pela categoria e estabeleça valores para o regime de 20 horas semanais. 

Os profissionais em Educação vão se reunir às 8h desta terça-feira, na sede da Fetems.

Veja também