Menu
Busca domingo, 19 de janeiro de 2020
Cidades

Imasul investiga origem de material que impede navegação no Rio Miranda

Obstrução ocorre na altura da Ponte do Calcário

13 janeiro 2020 - 16h34Por Thiago de Souza

Aglomeração de material orgânico tem impedido a navegação na calha do Rio Miranda desde o final de semana, 11 e 12 de janeiro. O fenômeno é conhecido na região, mas os técnicos do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul investigam a origem de tanto material acumulado.

Conforme o comandante da Polícia Militar Ambiental em Miranda, tenente Antonio Rondon da Silva, o acúmulo desse material ocorre principalmente nos meses mais chuvosos. O obstrução da navegação ocorre na altura da Ponte do Calcário, na área urbana da cidade.

Ainda segundo Silva, o máquinas da prefeitura local retiram o material dos pontos afetados.

O secretário adjunto da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar), Ricardo Senna, salienta que o material é composto basicamente por vegetação nativa das margens do rio, como taquaras e bambus.

Ainda segundo Senna, as fortes chuvas das últimas semanas podem ter causado o fenômeno, mas também podem ser efeito das queimadas que atingiram o Pantanal com grande intensidade. Neste último caso, as enxurradas podem ter arrastado o material lenhoso para a calha do rio.

''Mas de qualquer forma, a ocorrência será investigada pelos técnicos'', garantiu o adjunto Senna.