Menu
domingo, 24 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
Cidades

Justiça nega pedido para criança com paralisia cerebral e família pede ajuda

Mãe da criança busca levantar custos para um dia conseguir realizar o sonho de ver o filho andar

03 novembro 2016 - 13h10Por Anna Gomes

Mais uma vez, a família do pequeno Iran Assunção Anderson Martins de três anos e dez meses luta para conseguir levantar custos para mais uma cirurgia que a criança precisa fazer. Após a Justiça negar o pedido de uma operação para a criança andar, os familiares resolveram novamente 'arregaçar as mangas' na busca do sonho do menino.

Segundo a mãe de Iran, a policial militar aposentada Lene Assunção Anderson de 34 anos, a criança nasceu com paralisia cerebral, a família fez diversas campanhas e empréstimos, mas conseguiu levantar R$ 160 mil para que Iran realizasse uma cirurgia de implantação de células troncos na Tailândia. Agora, Lene explica que busca outro procedimento para evolução da saúde do pequeno, pois o garoto precisa realizar a cirurgia de rizotomia dorsal seletiva no objetivo de conseguir fazer Iran andar que só é feita na cidade de Joinvile, em Santa Catarina.

A cirurgia visa desatrofiar os nervos que desta forma ficaram por conta da paralisia cerebral fator que havia levado ao primeiro procedimento. A mãe afirma que a técnica é bastante complexa e ainda nova no Brasil, sendo que em Joinville (SC) existem profissionais e hospitais aptos para a realização da operação.

Lene diz que o plano de saúde de Iran, o Cassems negou a cirurgia em Santa Catarina, destacando que só atende no Estado de Mato Grosso do Sul. A família resolveu procurar a justiça na esperança de conseguir uma solução para a criança, mas o pedido também foi negado pelo Juiz.


"Levamos laudos, gastamos cerca de R$ 6 mil com advogados e a justiça negou o pedido. A cirurgia custa R$ 70 mil e meu filho grita de dores por causa dos atrofiamentos dos nervos, ele precisa urgentemente dessa operação, mas não acreditamos mais na Justiça", desabafa a mãe.

Na primeira cirurgia, a que foi realizada na Tailândia e que custou R$ 160 mil, a mãe lembra que fez várias campanhas, e conseguiu arrecadar R$ 60 mil, outros R$ 100 mil, a família precisou fazer empréstimos, inclusive, a casa onde residem está hipotecada.

"Ganho um salário mínimo, o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) também negou nosso pedido de ajuda ao Iran, meu marido precisa trabalhar e todo nosso dinheiro está sendo usado para arcar com as dívidas da primeira cirurgia, que pagamos uma parcela de R$ 2.800. Sem contar as fraldas que precisam ser especiais, devido as fisioterapias e os medicamentos que precisamos comprar, já que nosso filho sente muitas dores. Não temos outra alternativa e estamos vivendo de doações", disse.

Ainda segundo os relatos da mãe, com a operação das células tronco no exterior, Iran já está com o cérebro recuperado, agora o problema da criança é apenas físico.

"Não tem nada no cérebro que impede meu filho andar, a dificuldade está nos nervos. Ele não é um cadeirante, pois consegue engatinhar e também ficar em pé, mas os nervos estão ficando atrofiados e a cirurgia melhoraria muito a mobilidade dele", acrescentou.


Sem parentes, a família de Iran que mora em Dourados, não consegue tempo para fazer eventos e arrecadar dinheiro, pois a criança ocupa totalmente o tempo dos pais, foi quando a mãe teve uma ideia de criar a página na rede social Facebook: 'AJUDA PARA O PEQUENO IRAN', onde ela mostra o dia a dia da criança.

"Ele precisa de mim para tudo e meu marido precisa trabalhar, não temos outros familiares por aqui e depois da primeira cirurgia estamos vivendo para bancar as contas que restaram, ficamos impossibilitados de fazer eventos".

A página 'AJUDA PARA O PEQUENO IRAN' é a esperança da mãe de um dia conseguir ver seu filho andando. A cirurgia estava marcada para o último dia 27 de outubro, mas após a Justiça negar o pedido da família, foi remarcada para o dia 10 de janeiro de 2017.

Em dois meses, Lene tem fé que vai conseguir os R$ 70 mil que tanto precisa para a operação de Iran. Com a página, a família já conseguiu arrecadar R$ 34 mil, mas ainda falta um grande valor.

"Peço a ajuda das pessoas, pretendo um dia conseguir ver meu pequeno andando e tenho muita esperança de arrecadar esse dinheiro até janeiro do ano que vem", destaca a mãe.

Lene finaliza dizendo que quem quiser conhecer a família, pode entrar em contato pelo número: (67) 9-9967 - 7219

Entrar em contato com ela pelo Facebook, ou na página :  AJUDA PARA O PEQUENO IRAN

Depósitos:

Agência: 391-3 Conta: 79095-8 Banco do Brasil

CPF: 96777591168

 

 

Leia Também

Idoso passa mal e morre dentro de casa no Leblon
Polícia
Idoso passa mal e morre dentro de casa no Leblon
Rapaz tenta se livrar de revólver e acaba preso no Jardim Aeroporto
Polícia
Rapaz tenta se livrar de revólver e acaba preso no Jardim Aeroporto
Idoso é atingido por bala perdida após visitar familiares no Panorama
Polícia
Idoso é atingido por bala perdida após visitar familiares no Panorama
Bebê morre em parto em casa no Novos Estados, em Campo Grande
Polícia
Bebê morre em parto em casa no Novos Estados, em Campo Grande