(67) 99826-0686
Origem - entregas

Justiça nega pedido para criança com paralisia cerebral e família pede ajuda

Mãe da criança busca levantar custos para um dia conseguir realizar o sonho de ver o filho andar

3 NOV 2016
Anna Gomes
13h10min
Foto: Arquivo Familiar

Mais uma vez, a família do pequeno Iran Assunção Anderson Martins de três anos e dez meses luta para conseguir levantar custos para mais uma cirurgia que a criança precisa fazer. Após a Justiça negar o pedido de uma operação para a criança andar, os familiares resolveram novamente 'arregaçar as mangas' na busca do sonho do menino.

Segundo a mãe de Iran, a policial militar aposentada Lene Assunção Anderson de 34 anos, a criança nasceu com paralisia cerebral, a família fez diversas campanhas e empréstimos, mas conseguiu levantar R$ 160 mil para que Iran realizasse uma cirurgia de implantação de células troncos na Tailândia. Agora, Lene explica que busca outro procedimento para evolução da saúde do pequeno, pois o garoto precisa realizar a cirurgia de rizotomia dorsal seletiva no objetivo de conseguir fazer Iran andar que só é feita na cidade de Joinvile, em Santa Catarina.

A cirurgia visa desatrofiar os nervos que desta forma ficaram por conta da paralisia cerebral fator que havia levado ao primeiro procedimento. A mãe afirma que a técnica é bastante complexa e ainda nova no Brasil, sendo que em Joinville (SC) existem profissionais e hospitais aptos para a realização da operação.

Lene diz que o plano de saúde de Iran, o Cassems negou a cirurgia em Santa Catarina, destacando que só atende no Estado de Mato Grosso do Sul. A família resolveu procurar a justiça na esperança de conseguir uma solução para a criança, mas o pedido também foi negado pelo Juiz.


"Levamos laudos, gastamos cerca de R$ 6 mil com advogados e a justiça negou o pedido. A cirurgia custa R$ 70 mil e meu filho grita de dores por causa dos atrofiamentos dos nervos, ele precisa urgentemente dessa operação, mas não acreditamos mais na Justiça", desabafa a mãe.

Na primeira cirurgia, a que foi realizada na Tailândia e que custou R$ 160 mil, a mãe lembra que fez várias campanhas, e conseguiu arrecadar R$ 60 mil, outros R$ 100 mil, a família precisou fazer empréstimos, inclusive, a casa onde residem está hipotecada.

"Ganho um salário mínimo, o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) também negou nosso pedido de ajuda ao Iran, meu marido precisa trabalhar e todo nosso dinheiro está sendo usado para arcar com as dívidas da primeira cirurgia, que pagamos uma parcela de R$ 2.800. Sem contar as fraldas que precisam ser especiais, devido as fisioterapias e os medicamentos que precisamos comprar, já que nosso filho sente muitas dores. Não temos outra alternativa e estamos vivendo de doações", disse.

Ainda segundo os relatos da mãe, com a operação das células tronco no exterior, Iran já está com o cérebro recuperado, agora o problema da criança é apenas físico.

"Não tem nada no cérebro que impede meu filho andar, a dificuldade está nos nervos. Ele não é um cadeirante, pois consegue engatinhar e também ficar em pé, mas os nervos estão ficando atrofiados e a cirurgia melhoraria muito a mobilidade dele", acrescentou.


Sem parentes, a família de Iran que mora em Dourados, não consegue tempo para fazer eventos e arrecadar dinheiro, pois a criança ocupa totalmente o tempo dos pais, foi quando a mãe teve uma ideia de criar a página na rede social Facebook: 'AJUDA PARA O PEQUENO IRAN', onde ela mostra o dia a dia da criança.

"Ele precisa de mim para tudo e meu marido precisa trabalhar, não temos outros familiares por aqui e depois da primeira cirurgia estamos vivendo para bancar as contas que restaram, ficamos impossibilitados de fazer eventos".

A página 'AJUDA PARA O PEQUENO IRAN' é a esperança da mãe de um dia conseguir ver seu filho andando. A cirurgia estava marcada para o último dia 27 de outubro, mas após a Justiça negar o pedido da família, foi remarcada para o dia 10 de janeiro de 2017.

Em dois meses, Lene tem fé que vai conseguir os R$ 70 mil que tanto precisa para a operação de Iran. Com a página, a família já conseguiu arrecadar R$ 34 mil, mas ainda falta um grande valor.

"Peço a ajuda das pessoas, pretendo um dia conseguir ver meu pequeno andando e tenho muita esperança de arrecadar esse dinheiro até janeiro do ano que vem", destaca a mãe.

Lene finaliza dizendo que quem quiser conhecer a família, pode entrar em contato pelo número: (67) 9-9967 - 7219

Entrar em contato com ela pelo Facebook, ou na página :  AJUDA PARA O PEQUENO IRAN

Depósitos:

Agência: 391-3 Conta: 79095-8 Banco do Brasil

CPF: 96777591168

 

 

Veja também