TJMS - novembro
tce novembro
Menu
Busca segunda, 18 de novembro de 2019
Cidades

Lenda do jiu-jitsu de MS usa campeonato para melhorar a visão de mundo de crianças no Noroeste

"Estamos sempre trabalhando o lado mais disciplinar, respeitar as pessoas, ter boa conduta", revela professor

19 outubro 2019 - 18h10Por Nathalia Pelzl e André de Abreu

Claudionor Cardoso da Silva, faixa preta e lenda do jiu-jitsu de Mato Grosso do Sul, realizou na tarde deste sábado (19) um minicampeonato para aproximadamente 50 crianças, no Bairro Jardim Noroeste, em Campo Grande. A ideia do evento foi de fazer uma extensão das aulas. 

O professor tem um projeto em quatro escolas onde dá aulas da modalidade, inclusive conta com apoio do TopMídiaNews. Ele conta que a iniciativa de hoje foi para melhorar a visão de mundo das crianças. “Procuro ajudar essas crianças a melhorar a visão delas, trabalhar a cabecinha deles, estamos sempre trabalhando o lado mais disciplinar, respeitar as pessoas, ter boa conduta, o cara tem que ser campeão na vida”. 

Claudionor disse que a parceria com as igrejas batistas do bairro Mata do Jacinto e do Jardim Presidente, que estiveram presentes no evento, já dura três anos.  "É uma equipe só, mas temos nossas filiais". 

Ele revela que inicialmente o projeto começou na sua casa, só que mesmo com custo zero, a estrutura era limitada

“Esse projeto começou há dez anos dentro da minha casa, aqui no Noroeste, no meu cantinho, que era uma garagem aí vimos que estava pequeno. Aqui temos aluguel, alguns pais pagam, algumas crianças fazem depósito simbólico. Quero acrescentar o apoio do Marcos ao nosso projeto, pois ele todos os anos ajuda a gente, agradeço a parceria”.

No local, diversos pais e mães acompanharam o evento. Orgulhoso, o pai Ricardo da Glória Oliveira Alves, 41 anos, disse que a melhora da disciplina do filho é nítida nos três meses da prática do esporte.

A mãe do Pedro Henrique, a motorista de aplicativo Rosimeire dos Santos Leal, 49 anos, disse que o filho já era disciplinado e dedicado, mas que a prática da modalidade contribuiu para que o filho se cuidasse mais. “Agora ele se cuida mais, da alimentação e peso, faz vôlei, jiu-jitsu, criou o gosto pelo esporte”, finaliza.