(67) 99826-0686
Camara Maio

Medida estabelecida pelo Contran exige testes toxicológicos para motoristas

Rigor

13 DEZ 2013
Ana Rita Chagas
07h00min
Foto: Divulgação

Quem for renovar ou tirar a habilitação a partir de 1º de janeiro do ano que vem terá de passar por exames toxicológicos. O processo para obter a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) nas categorias C, D e E ficará mais rigoroso no Detran/MS ( Departamento Estadual de Trânsito), com a determinação  instituída pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito).

Pela nova regra, os exames deverão apresentar resultados negativos para um período mínimo de 90 dias retroativos à data da coleta do material. Caso o motorista apresente um  laudo positivo para a presença de substâncias químicas, o Detran não fará a  renovação da CNH. “Não adianta o condutor ficar 30 dias sem ingerir qualquer tipo de substância e fazer o teste porque o resultado dará positivo. Os equipamentos que serão homologados pelo Denatran vão detectar os últimos 90 dias”, explica a diretora de Habilitação e Educação de Trânsito do Detran/MS, Beth Felix.

De acordo a diretora, a medida atende uma determinação da ONU. “É uma camapnha mundial para diminuir acidentes de trânsito em 10 anos, porque estamos na década mundial de ação em prol da segurança viária”, acrescenta.

Estatística – Conforme dados do Detran/MS, em Mato Grosso do Sul mais de 200 mil pessoas estão cadastradas nas categorias C,D e E. Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), 90% das mortes em acidentes  envolvendo veículos de carga, o motorista havia utilizado algum tipo de substâncias ilícitas.

Os testes deverão ser feitos em clínicas específicas credenciadas pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). O condutor deverá desembolsar  entre R$ 300,00 e R$ 400,00. 

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Veja também