TCE MAIO
(67) 99826-0686

Considerado maior bairro da Capital, Aerorancho ainda sofre com problemas estruturais

Regiões de Campo Grande

31 JAN 2014
Aline Oliveira
18h05min
Presidente da Associação do Grande Aerorancho - José Arantes Foto: Geovanni Gomes

No especial ‘Regiões de Campo Grande’ iremos falar sobre a região do Aerorancho que segundo estimativas do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), realizada em 2010 registrou uma população de 36 mil habitantes e disputa com o conjunto habitacional das Moreninhas, o título de maior bairro da Capital.

 

Com pouco mais de 25 anos de fundação, foi subdividido em duas regiões: Conjunto Aerorancho e Jardim Aerorancho totalizando 10 setores, sete do conjunto e três do jardim. Nele se localiza um dos mais importantes parques poliesportivos da cidade que é o Ayrton Senna e três hospitais de referência que são o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, Hospital Universitário e inaugurado recentemente, o Centro de Prevenção do Câncer, construído e equipado pelo senhor Antonio de Moraes.

 

O presidente do conselho regional do Anhanduizinho e também titular da Associação Comunitária do Grande Aerorancho, José Arantes mora no Jardim das Hortênsias há quase 20 anos e conta como foi o início da formação do bairro. “Quando vim morar aqui só existiam as casas, mas não tinha asfalto nenhum, escolas ou creches. Foi bem difícil, até porque eu era novato no trabalho de liderança comunitária. Com o passar do tempo fui tomando gosto e buscando junto com outros interessados, recursos e benfeitorias para a região”, comentou.

 

De acordo com o líder comunitário, foram entregues à Prefeitura no final do ano passado, as cinco prioridades principais do bairro. “Tínhamos muito mais do que cinco, mas já que era necessário destacar os pontos mais urgentes, optamos em comum acordo, por solicitar a conclusão do asfalto, melhoria da saúde nas unidades de saúde e a construção da Praça localizada no terreno entre as ruas: Gerbera, Caládio, Prímula e Arquiteto Vila nova Urtiga. No local pedimos a construção de um campo de futebol, uma pista de caminhada e uma academia ao ar livre, pois a população sente muita falta de um espaço de lazer”, destacou.

 

Prioridades – Outra prioridade na região é a construção de mais Centros de Educação Infantil (Ceinfs) para atender as famílias. Arantes destaca que antes da entrega da unidade no Jardim das Hortênsias, havia uma defasagem de mil vagas, porém, como o local demorou a ser entregue, este número subiu para dois mil.

 

“Os Ceinfs em funcionamento na região não atendem a demanda de crianças e algumas mães tem que levar os filhos para unidades de bairros vizinhos como o Tarumã. Nosso apoio vem de entidades religiosas que possuem atendimento as crianças como é o caso do educandário Francisco Thiesen que atende mais de 250 crianças”, pontuou o líder comunitário.

 

Com relação ao ensino fundamental e médio, Arantes comenta que esta satisfatório, porém se faz necessário a criação de mais projetos sociais e construção de locais que reúnam os adolescentes e jovens da região, que acabam por ficar na ociosidade, levando uma boa parte e se envolver com companhias perigosas. “Muitos jovens acabam por se tornar usuários de drogas, por falta de atenção, ou oportunidade para participar de cursos e atividades esportivas. Temos exemplos bonitos como o Cidade dos Meninos, no Jardim Anache ou o Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência) promovido pela Polícia Militar. Acredito que se este projeto fosse implantado aqui, conseguiríamos combater o vício com mais eficácia”.

 

Rio Anhandui – Um dos grandes problemas estruturais da região ainda é o rio Anhandui, que corta a Avenida Norte-Sul. No período de chuvas a situação se agrava e a água invade várias casas, principalmente no setor VII. “O projeto de revitalização e canalização do Anhandui é muito bom, conhecemos bem. No entanto, ficou parado na administração passada e esperamos que o novo prefeito olhe por nós, no sentido de dar andamento. O secretário de obras, Semy Ferraz está se empenhando em nos ajudar e alguns pontos do córrego estão sendo reforçados, porém, aguardamos a conclusão do projeto que prevê até a construção de espaços de lazer”, revelou.

 

Outros projetos estão previstos no orçamento municipal para contemplar o bairro e fazem parte do PAC da Mobilidade Urbana. “Está formalizado o projeto de construção de um novo terminal localizado entre as Ruas Rachel de Queiroz e Divisão. Com ele, teremos ligação com outros bairros da região do Anhanduizinho e será denominado Terminal Parati, além da cobertura de vários pontos de ônibus”, detalhou.

 

Arantes ressaltou ainda que a comunidade está confiante na atuação da administração municipal e lembra que a população aguarda que os benefícios incluídos no orçamento sejam concluídos. “Os moradores pagam seus impostos e esperam o retorno, porém, entendemos que não dá para se fazer tudo de uma vez. Então aguardamos que os projetos e prioridades do Aerorancho sejam concluídos ainda nesta gestão”, finalizou.

Presidente da Associação do Grande Aerorancho - José Arantes  Foto: Geovanni Gomes
Presidente da Associação do Grande Aerorancho - José Arantes Foto: Geovanni Gomes
Presidente da Associação do Grande Aerorancho - José Arantes  Foto: Geovanni GomesÁrea da Praça no Jardim das Hortênsias

Veja também