(67) 99826-0686

Manhã de domingo é marcada por protesto na Capital

Violência

12 JAN 2014
Ana Rita Chagas
13h05min
Foto:Arquivo Pessoal/Facebook

Indignação e revolta marcaram a manifestação realizada na manhã deste domingo (12) por familiares das vítimas de violência da Capital. O protesto, que teve início, na Praça Ary Coelho reuniu amigos e parentes de  Dayane Silvestre Uliana, de 26 anos, que foi morta com três tiros pelo ex-marido, no  dia 4 de janeiro.

Ao ato, também estiveram presentes familiares de Giovanna Nantes, que está internada na Santa Casa de Campo Grande após, segundo a polícia, ter sido agredida pelo namorado no último dia 1º. Representantes de outras vítimas que engrossaram o índice das estatísticas se juntaram à manifestação para pedir punições mais rígidas para os acusados dos crimes. A mãe da professora Zilca Fernandes Marques dos Santos, que foi assassinada  pelo companheiro, com  11 facadas, em 2012, e parentes de Marcelo Campo, morto em 2013 também pediram justiça, além dos parentes dos jovens Breno Silvestrini  e Leonardo Fernandes, assassinados em 2012.

Com faixas, cartazes e camisetas, os manifestantes  percorreram a rua Sete de Setembro até o prédio da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher. No local gritaram palavras de ordem e finalizaram a manifestação com a oração do Pai Nosso.

Violência- Nos 10 primeiros dias de 2014, o município de Campo Grande registrou  mais de 100 casos de violência contra mulher, grande parte com gravidade. De acordo com dados da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) desde  1º de janeiro até hoje (12) foram registrados quatro homicídios, e as vítimas eram mulheres.

Veja também