TJMS AGOSTO 2022
Expo VIP Beleza
Menu
terça, 09 de agosto de 2022 Campo Grande/MS
Dengue agosto
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
Cidades

SEM ESPAÇO: MS tem apenas 65 leitos do SUS para internação de dependentes químicos

Leitos estão distribuídos em Paranaíba, Campo Grande, Costa Rica e Dourados

10 agosto 2019 - 07h00Por Maressa Mendonça

Mato Grosso do Sul  não tem leitos suficientes para atender dependentes químicos internados de maneira compulsória, ou seja, independente da vontade do paciente e pelo SUS . Ao todo, são 65 vagas em todo o Estado, disponibilizadas para pacientes psiquiátricos e dependentes químicos. 

Quando se fala em internação compulsória é diferente de um espaço terapêutico porque, na primeira, existe a obrigatoriedade de se ter um médico, por exemplo.

Apesar disso, a presidente do CEAD (Conselho Estadual de Políticas Públicas Sobre Drogas), Denise Souza e Silva, explica que não há motivo para desespero porque este tipo de internação só ocorre em situações extremas. “Não vai sair internando todo mundo”, diz. 

Estas situações extremas a que ela se refere podem ser resumidas assim: quando o dependente químico perde a capacidade de discernimento podendo colocar em risco a própria vida ou a dos outros. 

A lei que permite a internação involuntária de dependentes químicos foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) em junho deste ano. Em linhas gerais, determina a internação involuntária quando esgotadas as outras possibilidades. O pedido deverá ser feito por parentes e a internação terá prazo máximo de 90 dias. Esse é o tempo necessário para a desintoxicação do paciente. 

TRATAMENTO EM MS 

Em Mato Grosso do Sul, tanto as vagas para pacientes em tratamento por transtornos mentais quanto para os com problemas relacionados ao uso de álcool, crack e outras drogas são disponibilizadas via regulação estadual.

Atualmente existem 24 CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) para o tratamento desses pacientes. Desses 24, dois são exclusivos para crianças e adolescentes e estão implantados em Campo Grande e Corumbá.

Os leitos de saúde mental para tratamento de dependência química no estado estão distribuídos da seguinte forma: 40 vagas no Hospital Psiquiátrico "Dr. Adolfo Bezerra de Menezes" em Paranaíba, 12 no Hospital Regional em Campo Grande, 04 em Costa Rica e 09 no Hospital Universitário de Dourados.