TCE Novembro
Menu
segunda, 29 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Cidades

‘Mostramos que não somos elitistas’ declara Azambuja em balanço de gestão

07 março 2016 - 19h23Por Amanda Amaral

A gestão do governador peessedebista Reinaldo Azambuja em Mato Grosso do Sul completou um ano e os resultados de todos esses meses foram apresentados nesta segunda-feira (07) em evento no Palácio Popular da Cultura, em Campo Grande. Segundo Azambuja, o balanço foi considerado como ‘positivo, dentro das limitações financeiras que o Estado se encontrava, já que também sofreu com a crise econômica’.

Ele apontou também que contrariou expectativas negativas de que seu governo teria características ‘tecnicistas e elitistas’, e comparou seus feitos com os de gestões passadas. “Muito se falava no começo que essa seria uma administração direcionada, mas provamos que foi exatamente o contrário. Apresentamos um governo sem desperdício de dinheiro, sem obras com custos astronômicos, sem atrapalhar as leis. Temos que lembrar que as necessidades reais devem ser cumpridas nesse nosso governo, fazer diferente dos outros governos e recuperar o tempo perdido”, pontuou.

No evento, também foram assinados novos contratos de gestão com secretarias estaduais e com a Procuradoria Geral do Estado (PGE), que tiveram 65% do planejamento de 2015 concluído. Entre essas iniciativas alcançadas, estavam a formação de novos profissionais de segurança, reajuste salarial de professores estaduais, a Caravana da Saúde, Rede Solidária e outros.  Os 35% restantes, conforme Azambuja, não foram possíveis principalmente pela questão fiscal em que Mato Grosso do Sul se encontra, mesmo após diversos reajustes de orçamento, sendo ‘adiadas’ para serem cumpridas em até no máximo 2018.

Foi também lançada a XI edição do Prêmio Sul-Mato-Grossense de Inovação na Gestão Pública, onde devem ser distribuídos R$ 24 mil para incentivar servidores na sugestão e implantação de iniciativas para modernizar e aprimorar os serviços estaduais.

Obras

Um dos resultados apresentados no balanço foi que 80% das obras herdadas de outros governos foram concluídas em 2015, mas a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) tem bastante trabalho pela frente. Exemplo disso é a recuperação dos estragos causados pela chuva, que teve o maior volume para o período dos últimos 50 anos.

Na próxima quarta-feira (09), um convênio em parceria com o governo federal vai garantir a reconstrução de 30 das 92 pontes de concreto prejudicadas pela chuva em cidades em estado de emergência. Segundo o secretário de infraestrutura Ednei Marcelo Miglioli, esse acordo faz parte do primeiro pacote federal para ajudar os 37 municípios que entraram em estado de emergência nos últimos meses.

“Estamos preparando um segundo pacote, com recurso de aproximadamente 21 milhões de reais. O valor total investido nesses reparos deve ser algo em torno de R$ 70 milhões, não era previsto, mas foi necessário. Uma das principais preocupações, que escoamento da safra, conseguimos fazer. Agora, aguardamos a Defesa Civil levantar mais dados para vermos o que mais deve ser feito nesses municípios”, declarou o secretário.

Além da reforma de pontes, a Seinfra se comprometeu em cumprir uma série de outras metas em 2016, entre elas pavimentar e restaurar rodovias no Estado; atender municípios com pavimentação asfáltica, restauração e drenagem urbana; promover a universalização do abastecimento de água; expandir o atendimento de esgoto; ofertar energia elétrica em áreas do Pantanal de Mato Grosso do Sul; instalar postos de transformadores das unidades consumidoras do Estado; desenvolver estudos e projetos de matrizes energéticas renováveis; restaurar o pavimento, sinalização e adequação da acessibilidade do Parque dos Poderes; e perenizar travessias.