(67) 99826-0686

Diretora da Funesp diz que prioridade é reformar o Ginásio Guanadizão para competições nacionais

Reforma

16 DEZ 2013
Ana Rita Chagas
07h00min
Foto: Geovanni Gomes

De olho em grandes competições nacionais do esporte, a diretora da Funesp ( Fundação Municipal de Esporte), Leila Machado informou em entrevista concedida ao Top Midia News, que o Município abriu mão de pleitear os R$ 3,6 milhões, que viriam do PAC2 (Programa de Aceleração do Crescimento) para a construção do CIE (Centro de Iniciação Esportiva), em função dos R$ 17 milhões já inclusos no projeto de reforma do Ginásio Poliesportivo Avelino dos Reis (Guanandizão).

Segundo a diretora da Funesp, a intenção é elevar a capital de Mato Grosso do Sul em pé de igualdade com as demais cidades brasileiras, que sediam importantes eventos desportivos. “Nós não perdemos R$ 3, 6milhões, porque nós estamos reivindicando R$ 17milhões. Essa proposta na verdade serve para o interior do estado e não para a Capital, porque a gente já faz isso com recursos próprios. O que se precisa aqui é de ginásios para receber eventos nacionais, porque nós temos apenas um e ele está com problemas.”, afirmou.

Centros esportivos – A construção dos Centros de Iniciação ao Esporte integra o PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento) e foi destinado a ampliar a infraestrutura para a prática de esportes, visando os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016.

O projeto conta com um investimento de R$ 967 milhões do Orçamento Geral da União. Ao total 27 unidades federativas foram contempladas, menos Campo Grande. “Nós temos 11 parques com ginásios que não são ginásios fechados. Só temos um ginásio fechado em Campo Grande. Quando o ministro veio aqui nós entregamos em mãos para ele o projeto de reforma do Guanadizão e a construção de um complexo, porque só assim teremos como trazer para cá equipes, em 2016. Essa é nossa proposta”, salienta.

Conforme Leila Machado está em negociação a implantação de uma subsede para o município, em  para 2016. “As competições nacionais não estão vindo mais para Campo Grande porque não tem ginásio apropriado. Todas as propostas que tem no ministério nós já temos aqui, mas só isso que não traz os grandes eventos, e a ideia é trazer os grandes eventos para o município”, explicou.

Veja também