(67) 99826-0686

Nova multa para som alto em carros causa polêmica em Campo Grande

Resolução de trânsito aprovada nesta semana é vista como 'forma de tirar dinheiro do povo'

23 OUT 2016
Kerolyn Araújo
10h00min

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) aprovou, na última quarta-feira (19), a Resolução n°624, que multa condutores flagrados por causa de som alto dentro veículos. Agora, mesmo que o volume não ultrapasse 80 decibéis, que era permitido, o motorista será multado e penalizado com cinco pontos na carteira. Em Campo Grande, a decisão já está dando o que falar.

Ao ser questionada sobre a nova resolução, a dona de casa Kelly Cristina Cristaldo, 32 anos, foi direta ao dizer que essa é apenas mais uma maneira do foco da corrupção que ocorre no Brasil ser desviada. "É mais um jeito de desviar o foco. Tem tantas coisas para fazer, para melhorar, e vão brigar por causa de som de carro?", questionou.

Leandro Andrade, 23 anos, também não concorda com a nova resolução. "Estão fazendo uma loucura. Todo mundo gosta de ouvir música dentro do carro. Concordaria se fosse em casos de sons automotivos, que realmente atrapalham e incomodam as pessoas. Mas do jeito que é, não concordo. É apenas mais uma maneira de tirar dinheiro do povo", disse.

Para Jeferson Ferreira, 41 anos, a nova decisão também não tem muito fundamento, uma vez que outros barulhos incomodam muito mais a população, como locuções de propagandas de lojas nas ruas. "Não concordo com a resolução. Existem outras coisas mais importantes para eles se preocuparem. Música não faz mal a ninguém", esclareceu.

Além de não concordar com nova lei de trânsito, Jeferson questionou a maneira que a situação será avaliada, já que não será usado o decibelímetro, aparelho que mede decibéis. "Qual será a justificativa para a multa? Como vai provar que o som, mesmo baixo, estava incomodando outras pessoas?", questionou.


Conforme informações do Contran, o agente de trânsito deverá registrar, no campo de observações do auto de infração, a forma de constatação do fato. A infração é considerada grave e, a partir do dia 1° de novembro, o valor da multa será de R$195,23.

Veja também