Menu
segunda, 26 de outubro de 2020
Cidades

50% maior que janeiro, índice de acidentes de trânsito com mortes sobe na Capital e preocupa autorid

Violência no Trânsito

24 fevereiro 2014 - 18h15Por Carlos Guessy

Quatro pessoas morreram em acidente de trânsito no final de semana em Campo Grande. São 16 mortes somente este ano. Um dado alarmante que vem chamando a atenção das estatísticas e dos órgãos competentes de trânsito no Estado.  Das vítimas, oito são motociclistas. Uma delas era passageira de carro, outra de moto, um pedestre e outro motociclista.


O mês de fevereiro completou 23 dias com oito vidas perdidas em tragédias que chocaram a população, superando o mês de janeiro.


1º Caso

A primeira tragédia ocorreu na manhã do sábado (22), na avenida Afonso Pena, em frente ao Hotel Grand Park. O pintor industrial Hebert dos Santos Lima, 38 anos, estava no banco de trás de uma S-10 que bateu em um coqueiro.


O motorista e o outro passageiro, ambos da cidade de Cosmópolis (SP), ficaram feridos e precisaram ser levados para a Santa Casa.


Conforme as apurações da perícia, o condutor da caminhonete seguia em alta velocidade no sentido centro quando subiu o canteiro da avenida e colidiu em um coqueiro. Hebert não resistiu aos ferimentos e morreu na hora.


O corpo dele foi levado para o interior de São Paulo na noite do sábado. O motorista da S-10, Diogo Barbosa Araújo, 23 anos, segue internado em estado grave.


Para a estudante de psicologia, Fernanda Brum, 18 anos, os jovens de hoje só querem beber e depois querem pegar a direção dos veículos. "Por isso que está acontecendo essas tragédias nos finais de semana. A maioria dos jovens só pensam na balada e encher a cara. Ficam valentões ou brigam por bobeira  ou pegam os veículos e acontecem essas tragédias que chocam todos", revoltou a acadêmica de psicologia.


2º Caso

O segundo caso foi o pedestre Félix Fernando Ajala, 24 anos. Ajala morreu depois de ser atropelado na avenida Fernando Corrêa da Costa, esquina com a rua 14 de Julho. O jovem foi encaminhado para a Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos.


Segundo a polícia, o motorista fugiu depois do acidente e ainda não foi encontrado. As buscas continuam já que uma câmera de segurança da região flagrou o momento do acidente.


3º Caso

O terceiro caso aconteceu ontem, domingo (23), outras duas pessoas morreram. O acidente foi na Avenida Gunter Hans, em frente ao Terminal Aero Rancho. O motociclista Sérgio Ortiz Dias, 23, perdeu o controle da direção da moto, bateu em um poste e depois em uma placa.


A força do impacto foi tão grande que a vítima sofreu várias lesões no tórax, nariz, mandíbula, cabeça e teve hemorragia interna. Sérgio morreu minutos depois da chegada do socorro.


A empresária Gorety Flores, 50 anos, tem cinco filhos e quatro netos, os filhos todos na faixa dos 30 anos e os netos na pré adolescência. Ela diz que como toda mãe e avó fica preocupada principalmente nos finais de semana com todos da família. "Conversamos muito nos almoço de domingo na mesa sobre as baladas, bebidas, drogas. A nossa família é super unida e todo mundo se cuida em relação as coisas que acontecem hoje em dia em tudo que é lugar. Confesso que mesmo assim temo pelos filhos e agora os netos", confessou  Gorety.


4º Caso

A última vítima do fim se semana na Capital foi a estudante Cinthia Aparecida de Jesus Lima, 23 anos. A jovem estava na garupa da motocicleta conduzida por Jânio Batista Lopes, 28 anos. O acidente ocorreu na noite de ontem (23), na Avenida Três Barras.


Leia Também

Vídeo: telhado de barracão ‘voa’ durante temporal em Dourados
Interior
Vídeo: telhado de barracão ‘voa’ durante temporal em Dourados
Anjinho: Ravi vai salvar vidas com doação de córneas e rins
Cidades
Anjinho: Ravi vai salvar vidas com doação de córneas e rins
Mato Grosso do Sul ultrapassa 80 mil casos do coronavírus
CORONAVÍRUS
Mato Grosso do Sul ultrapassa 80 mil casos do coronavírus
Filho de vereador precisa encontrar doador de medula óssea compatível
Cidade Morena
Filho de vereador precisa encontrar doador de medula óssea compatível