Menu
Busca sábado, 30 de maio de 2020
Gov - Compre de Casa
Cidades

TCU embarga obras de infraestrutura em sete Estados brasileiros

Fiscalização

06 novembro 2013 - 18h32Por Aline Oliveira

Foi informado hoje pelo TCU (Tribunal de Contas da União), a paralisação de sete obras de infraestrutura com retenção de pagamento, por problema de projetos mal elaborados o que sugere superfaturamento, entre outras irregularidades.

 

As edificações constam no relatório do Fiscobras 2013, sendo informado ainda que as fiscalizações já geraram economia de R$ 484 milhões aos cofres públicos. No entanto, a estimativa que esta economia alcance R$ 1,2 bilhão.

 

Segundo o TCU as obras com recomendação de paralisação são: esgotamento sanitário em Pilar (AL), Ferrovia Oeste-Leste (BA), avenida marginal leste no rio Poty (PI), vila olímpica Parnaíba (PI), pavimentação da BR-448 (RS), ponte sobre o rio Araguaia na BR-153 (TO) e Ferrovia Norte-Sul (TO).

 

Já as que terão retenção de valores são: Entre as obras com recomendação de retenção de valores estão: canal do sertão (AL), terminal fluvial de Barcelos (AM), trens urbanos de Salvador (BA), Ferrovia Norte-Sul (GO), refinaria Abreu e Lima (PE), construção de adutora Pirapama (PE) e obra de melhoria do complexo esportivo Canarinho (RR).

 

De janeiro a outubro deste ano foram realizados 538 processos referentes a obras públicas, do total 136 se enquadraram no balanço do Fiscobras. No balanço do TCU, 84 obras apresentam indícios graves de irregularidades.

Fonte: Valor Econômico

Leia Também

PÁGINA VIRADA: sem constrangimento, Willian Waack comenta protesto de negros nos EUA
Geral
PÁGINA VIRADA: sem constrangimento, Willian Waack comenta protesto de negros nos EUA
PF diz ao STF que vai ouvir Bolsonaro por causa das acusações de Moro
Geral
PF diz ao STF que vai ouvir Bolsonaro por causa das acusações de Moro
Moro sugere que Bolsonaro usou lei anticrime para proteger o filho Flávio
Cidades
Moro sugere que Bolsonaro usou lei anticrime para proteger o filho Flávio
Maia diz que Bolsonaro não 'comprou' Centrão: 'relação democrática'
Geral
Maia diz que Bolsonaro não 'comprou' Centrão: 'relação democrática'