(67) 99826-0686
Camara Maio

PRF registra 79 acidentes e sete mortes na Operação Rodovida nas estradas de MS

Balanço Parcial

24 DEZ 2013
Carlos Guessy
20h00min
Foto: Reprodução

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou um balancete parcial da Operação Rodovida nas estradas de Mato Grosso do Sul. De acordo com os números divulgados já foram registrados 79 acidentes de trânsito, sendo 71 com vítimas entre leves e graves e sete casos de mortes no trânsito. Os números contabilizam do dia 19 ao dia 23 de dezembro, período que cobre a operação.

No ano passado foram registrados no total, 642 acidentes nas estradas, sendo 119 com vítimas graves e 38 mortos. A operação, além da preocupação em garantir a segurança, o conforto e a fluidez no trânsito, visa à redução no número de mortos e de feridos em decorrência de acidentes.

Acidentes

Alguns acidentes noticiados com mortes entraram na ‘soma’ da operação da Polícia Rodoviária Federal.  No dia 20 de dezembro, uma família inteira morreu. Pai, mãe e dois filhos que estavam em uma Blazer, que se envolveu em acidente com caminhão na BR-163, em Rio Verde de Mato Grosso. Na hora, dois meninos – de 12 e 7 anos – morreram carbonizadas.

No último domingo outra tragédia no trânsito, um bebê de 6 meses e um homem de 47 anos morreram após o Doblò em que estavam bater em duas árvores e pegar fogo. O acidente foi na BR-267, em Nova Andradina.

Redução de acidentes

Neste período de festas, visando à redução dos acidentes, a Polícia Rodoviária Federal aumentará a presença do efetivo nas rodovias federais do Estado e atuará nos locais e horários com maior concentração de registro de acidentes.

Que no Estado englobam a BR-163 e BR-262, principalmente nos trechos considerados mais críticos, que são os dos municípios de Campo Grande, Nova Alvorada do Sul, Dourados, Coxim e Três Lagoas.

Serão disponibilizados 12 aparelhos de radar para fiscalização de velocidade, sendo oito deles novos, que integram câmera de vídeo e máquina fotográfica digitais, oito etilômetros para realização de testes de alcoolemia, além do emprego de novos carros e armamento ostensivo.

Veja também