TJMS SETEMBRO e outubro
Menu
terça, 19 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
senar 18/10 a 21/10
Cidades

Chácara Buriti é a primeira comunidade negra do país a receber o Selo Quilombos do Brasil

Reconhecimento

20 novembro 2013 - 08h47Por Ana Rita Chagas

Produtores da comunidade negra Chácara Buriti, do estado, possuem a partir de agora o Selo Quilombos do Brasil emitido pelo MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário), que identifica produtos junto aos mercados privados e institucionais, no país.A Chácara Buriti é a primeira comunidade negra a receber a permissão de uso do selo.

A ação foi articulada entre o MDA, a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir) e a Fundação Palmares. O Selo Quilombos do Brasil serve como certificado de origem e identidade cultural para os produtos de procedência quilombola.

Para a presidente da comunidade Chácara Buriti, Lucinéia de Jesus Domingos Gabilão, a certificação ajudará a divulgar os trabalhos desenvolvidos pelos quilombolas. " Com o selo todas vão saber que saiu daqui de dentro da comunidade negra Chácara Buriti. Ajuda no desenvolvimento da comunidade e dos produtores”, comemora.

Produção - Lucinéia explica que a conquista da certificação é resultado das diversas parcerias firmadas ao longo de oito anos.  Com a produção veio, também, a necessidade de elaboração de projetos de crédito rural. De acordo com o engenheiro agrônomo da Agraer Altair Luiz da Silva, por meio de uma chamada pública do MDA, a Agraer elaborou uma proposta de trabalho e foi contemplada. Entre os anos de 2011 e 2012 realizou junto a três comunidades quilombolas um plano de desenvolvimento. “Visitamos cada comunidade e fizemos cursos. Neste plano mostramos qual seria a produção ideal para cada uma delas e a melhor forma de manejo”, informou.

A comunidade atualmente é formada por 27 famílias tem como carro chefe a produção de hortaliças (alface, salsinha, cebolinha, coentro, rúcula, repolho, almeirão), além do pimentão, tomate, berinjela, milho, mandioca e quiabo. São pelo menos oito grandes hortas que somam quase 16 hectares. A área total da comunidade é de 43 hectares.

Comercialização - Hoje, a produção da Chácara Buriti é comercializada por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do Ministério do Desenvolvimento Agrário, em mercados de Campo Grande e em fazendas da região. Há três anos, os produtos também chegam à mesa de entidades filantrópicas, entre outras instituições.

Em  2012, as vendas dos produtos totalizaram R$ 105 mil, superadas neste ano com a comercialização de R$ 408,1 mil. Cada produtor pode vender até R$ 4,8 mil ao ano.Segundo a presidente da comunidade, hoje, data em que se comemora a Consciência Negra há muito que comemorar.

“Mesmo se não conseguisse este selo Quilombos do Brasil a gente tem o que comemorar. É só ver lá no início para saber o tanto que já progredimos. Já melhorou muito, mas precisamos mais”, conclui, destacando a importância dos parceiros como o Incra, a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e a Conaq (Coordenação Nacional de Quilombos). Com informações assessoria.

Leia Também

Bombeiros removem árvore gigantesca caída em escritório de Campo Grande
Campo Grande
Bombeiros removem árvore gigantesca caída em escritório de Campo Grande
'Novo' Bolsa Família pode pagar até R$ 400 até 2022
Economia
'Novo' Bolsa Família pode pagar até R$ 400 até 2022
Quadrilha do Passat Branco é presa após assalto na Guaicurus
Polícia
Quadrilha do Passat Branco é presa após assalto na Guaicurus
Taxista é rendido por assaltantes e tem carro roubado no São Jorge da Lagoa
Polícia
Taxista é rendido por assaltantes e tem carro roubado no São Jorge da Lagoa