(67) 99826-0686
Origem - entregas

Política Estadual sobre Drogas aguarda sanção do governo de MS

Política pública

16 JAN 2014
Ana Rita Chagas e Willian Leite
07h00min
Foto: Geovanni Gomes

“Temos de exterminar o problema começando pela raiz”. A afirmação é do promotor da 27ª Vara da Infância e Juventude, e presidente do Cead/MS (Conselho Estadual Antidrogas ) Sérgio Harfouche   ao explicar a importância do governo de Mato Grosso do Sul implementar uma Política Estadual Sobre Drogas.

No último dia 13, o promotor  entregou a governadora em exercício, Simone Tebet (PMDB) um documento contendo as diretrizes para a prevenção, fiscalização e repressão às drogas. Segundo Sérgio Harfouche, as novas deliberações foram estabelecidas em parceria com os conselhos municipais antidrogas durante os seis fóruns realizados nos últimos três anos em Mato Grosso do Sul.

Para o promotor, o trabalho será eficaz uma vez que sejam implementadas medidas socioeducativas de prevenção às drogas, com uma força tarefa conjunta entre as três frentes relevantes: educação, saúde e assistência social. “O fato de Mato Grosso do Sul ter fronteira seca com Bolívia e Paraguai  facilita a disseminação da cultura do uso das drogas. Por outro lado, os traficantes estão usando uma nova moda para pulverização do oxi com a maconha que engana o usuário fazendo-o pensar que a maconha é melhor e que não faz mal a saúde”, ressalta.

Perfil familiar- De acordo com Harfouche, o documento que depende da sanção do governo do Estado para ser colocado em prática foi elaborado a partir de uma minuciosa pesquisa sobre o perfil familiar dos usuários de drogas. “São famílias de jovens que não estudam e não têm estrutura familiar, sem a presença de pai e mãe dentro do lar. Vamos lutar pelo bem estar da família despertar a consciência da população sobre os danos biopsicossociais causados ao indivíduo pelo uso indevido de drogas, bem como as consequências nefastas para a sociedade como um todo”, pontua o promotor.

Segundo o titular da Vara da Infância e Juventude, em 2013 foram apreendidos no Estado  um terço de toda a quantidade de entorpecentes apreendida no país. Harfouch ressalta que há três precursores que precisam ser vistos com atenção como o uso abusivo de álcool, a facilidade ao acesso à droga e a impunidade de quem oferece esse tipo de risco aos jovens e adolescentes. “A idéia é criar conselhos antidrogas em todos os municípios, pois, o problema está  em todo o Estado. Precisamos declarar não a liberação da maconha e é necessário criar leitos psiquiátricos dentro dos hospitais para o tratamento e desintoxicação de quem já esta em estado avançado" resume o promotor.

Política Estadual Sobre Drogas – O promotor informou, ainda, que o processo de reformulação das políticas previstas para serem implementadas em MS teve como referência o Plano Nacional Antidrogas (PNAD) que tem como pressupostos básicos prevenção; tratamento, recuperação e inserção social; bem como redução de danos sociais e à saúde; redução de oferta – repressão; além de estudos, pesquisas e avaliações.

Conforme o Harfouche o documento visa fomentar uma prática de vida saudável saúde, promovendo a construção de uma sociedade protegida do uso indevido de drogas ilícitas.

Veja também