ALMS CONTAR 25/06 A 27/06
(67) 99826-0686
ALMS 13/06 a 12/07

Reunião com assessoria jurídica vai definir rumos da ocupação na UEMS nesta terça-feira

Grupo segue orientação de mobilizações nacionais e de Paranaíba

8 NOV 2016
Thiago de Souza
15h46min
UEMS da Capital também foi ocupada por estudantes Foto: Reprodução

O campus da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) em Campo Grande continua ocupado por cerca de 155 estudantes, desde as 21h dessa segunda-feira (7). Eles estão mobilizados contra a PEC 241 (55), que limita o teto de gastos públicos da União por 20 anos e a reforma do ensino médio. O movimento agora, aguarda uma reunião com a assessoria jurídica para definir os rumos da ocupação.  

Segundo uma liderança, o grupo que permanece na unidade da Capital segue orientações de outros movimentos nacionais e da unidade de Paranaíba, também ocupada desde o dia 28 de outubro. Para se comunicar com a imprensa e outros setores, os estudantes criaram uma página no Facebook, chamada de ''Ocupa UEMS''. 

Nesta terça-feira, líderes da mobilização na cidade da região leste do Estado, emitiram uma nota dizendo que mantiveram conversa com o MPE (Ministério Público Estadual) e decidiram permanecer com a ocupação. A nota explica que a saída deles da unidade de Paranaíba seria um ''desrespeito'' com outras mobilizações nacionais e se ''deslegitimaria'' enquanto movimento social. O comunicado informa que as aulas estão paralisadas, mas o setor administrativo funciona normalmente. 

Antes da ocupação na UEMS de Campo Grande, os alunos realizaram atividades como 'mesa redonda' sobre maioridade penal e o possível efeito dominó da PEC 241, aprovada em dois turnos na Câmara dos Deputados, e tramita no Senado, agora com o número 55. O texto já está próximo de ir para primeira votação na Casa Alta. 
O campus da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) em Três Lagoas também está ocupado por estudantes.   

Resposta 

Em nota, a direção da UEMS informou que está atenta às demandas e reivindicações dos alunos que desejam protestar contra as medidas adotadas pelo Governo Federal quanto daqueles que querem o reestabelecimento das atividades, a fim de  achar uma 'resolução mais equânime possível''. Também informou que as atividades acadêmicas de estudantes em conclusão de curso estão mantidas, a fim de preservar o calendário de colações de grau.  Em Campo Grande, as aulas no (NEL) Núcleo de Ensino de Línguas  e dos projetos do Arelim (Assessoria de Relações Internacionais e Mobilidade Acadêmica) serão mantidas. 

 

Veja também