Menu
Busca domingo, 15 de dezembro de 2019
Cidades

SED escolhe diretora sem eleição e, em 15 dias, seis projetos são fechados em escola

A diretora não foi aprovada na avaliação de competências, mas mesmo assim foi nomeada

23 julho 2019 - 19h00Por Maressa Mendonça

Alunos da escola Hércules Maymone, em Campo Grande, estão indignados com as mudanças feitas pela diretora em menos de 30 dias de gestão. Segundo os relatos, Maria Irene Alves Ribeiro começou a trabalhar no dia 1º de julho e, desde então, demitiu 11 professores, quatro coordenadores e fechou seis projetos na unidade.

 O sentimento de revolta dos estudantes tem relação ainda com  o fato de ela não ter sido aprovada na avaliação de competências básicas feita para os dirigentes de escolas. 

Conforme o presidente do grêmio estudantil, Khristofer Rizzo, foram fechados os cursos preparatório para a Prova Brasil e para o Enem, uma oficina de robótica e outra de hardware, uma de iniciação científica e o núcleo de oração em que eram trabalhados temas como prevenção ao suicídio e autoestima. 

“A gente não sabe o que fazer”, comentou ele sobre a preocupação dos estudantes. Eles pedem ao menos uma justificativa sobre estas decisões, incluindo a da nomeação da diretora. 

O resultado da prova de avaliação de competências básicas para diretor de escola é divulgado em Diário Oficial e aponta que ela não foi aprovada. Este é um dos passos para que os interessados na direção das escolas possam concorrer às eleições.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da SED (Secretaria de Estado de Educação) sobre o assunto, mas não teve resposta até o fechamento da reportagem.