TCE Julho  17 a 19/07 e 22 a 25/07
(67) 99826-0686
Gov - PPA 23 a 27/07

'Self Service' nos postos de gasolina pode colocar motoristas em perigo, diz sindicato

Presidente Sinpospetro reforça que abastecimento não é único serviço dos frentistas e alerta sobre riscos do manuseio de combustíveis

4 JUL 2019
Maressa Mendonça
09h30min
Para o sindicato, possível aprovação do projeto é um risco Foto: André de Abreu/Top Mídia News

A aprovação do projeto de lei federal 2302/19, que permite ao consumidor abastecer o próprio veículo nas bombas, ameaça o emprego de 7 mil frentistas em Mato Grosso do Sul. A estimativa é do  Sinpospetro (Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Mato Grosso do Sul). 

Para o presidente do Sinpospetro, José Hélio da Silva, é um erro achar que os frentistas apenas abastecem os veículos, além dos riscos da atividade. “Eles averiguam várias questões do carro, dão orientações. Não é só colocar gasolina”, disse. 

José Hélio disse que a Federação Nacional dos Empregados em Posto de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo (Fenepospetro) também está realizando um trabalho de convencimento dos deputados e da sociedade em geral sobre o assunto. Eles divulgaram uma nota com quatro motivos para dizer não ao projeto.

Além do risco das demissões em massa e dos riscos do contato direto com os combustíveis, a Federação pontua também o possível aumento das filas e insegurança do próprio local com a ausência de trabalhadores. Isto porque muitos motoristas pedem ajuda nos postos. 

O PROJETO 

O projeto de Lei Federal 2302/19, do deputado Vinicius Poit (Novo-SP) , permite o funcionamento de bombas de autosserviço operadas pelo próprio consumidor nos postos de abastecimento de combustíveis, em todo o território nacional. No momento, ele está sendo analisado por algumas comissões da Câmara dos Deputados. A ideia é reduzir o preço do combustível com a redução dos encargos trabalhistas pagos pelos empresários. 

Veja também