(67) 99826-0686

Somando R$ 400 milhões, Azambuja deposita 13º salário na quinta-feira

Governador relatou que queda de arrecadação com ICMS do gás colocou em risco o compromisso do benefício a 72 mil servidores

12 DEZ 2016
Amanda Amaral
17h04min
Foto: Amanda Amaral

Apesar de deixar de arrecadar quase R$ 700 milhões em 2016, o Governo do Estado anunciou que conseguiu fechar as contas positivamente e que deve depositar o 13º salário de servidores públicos de Mato Grosso do Sul no dia 15 e, no dia 16, todas as contas já terão o valor do benefício garantido. Conforme o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), serão encaminhados R$ 400 milhões aos trabalhadores, que, somado aos salários de novembro e dezembro, resultam em mais de R$ 1,2 bilhão.

O ‘esforço’ para cumprir o direito aos 48.624 servidores ativos e 23.626 inativos foi mais complicado devido ao cenário de crise e a queda do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do gás natural, principal fonte da receita de tributos do Estado, segundo Azambuja. “Fizemos essa reserva desde 2015, seguramos os gastos no final do ano porque tivemos estagnação inesperada nesse 3º bimestre, tivemos que aumentar o imposto sobre supérfluos, como bebida e cigarro, mas com as medidas conseguimos frustrar em apenas um dia o prazo solicitado pelas associações e federações do comércio”, disse o governador.

Apesar de não apoiarem ‘medidas amargas’ como o aumento de impostos para que o compromisso fosse garantido, representantes do comércio varejista, presentes durante o anúncio do pagamento na Governadoria, comemoraram o fato de que o setor deve movimentar melhor a economia durante o mês do Natal. Conforme João Carlos Polidoro, presidente da Associação Comercial de Campo Grande (ACICG), esta é a época mais esperada do ano pelos comerciantes.

“Existe esforço de todas as partes em se recuperar a economia e isso, com certeza, será muito positivo. Contudo, é necessário achar outras formas além dos impostos para arrecadação pública, como atrair investimento pesado de fora. Desde maio a engrenagem está travada”, pontua Polidoro.

Expectativa municipal

O presidente da Associação Comercial completa que, agora, passa a aguardar com mais ansiedade pela posição do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), em relação ao pagamento do 13º aos servidores municipais. “Já falei com o prefeito e ele me deu até o dia 20 para definir o que será. É uma expectativa alta, porque serão R$ 100 milhões investidos daqui, aqui na Capital”, explica.

Na última semana, Bernal confirmou que pode ocorrer atraso no repasse desse montante para mais de 22 mil servidores, que podem ter dinheiro em conta apenas na primeira quinzena de janeiro. A justificativa é de que o pagamento vai depender do fluxo de caixa da Máquina Pública, com a arrecadação antecipada do pagamento do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano).

Veja também