Menu
sábado, 27 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Cidades

Universidade monitora redes sociais após convocações para ato contra 'comunismo' na instituição

Após vitória de Jair Bolsonaro, mensagens chamando para protesto nesta segunda-feira na universidade passaram a circular

29 outubro 2018 - 16h53Por Da redação / O Globo

Após convocações públicas de apoiadores do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), para protestar contra o "comunismo" na Universidade de Brasília (UnB) nesta segunda-feira, a instituição  informou em nota que “está monitorando posts nas redes sociais sobre potenciais transtornos à rotina da Universidade, em razão dos resultados da eleição, e tomando as medidas cabíveis para garantir segurança e acolhimento à comunidade universitária”.

A UnB pediu apoio da Secretaria de Segurança Pública e da Polícia Federal, em caso de necessidade. Também solicitou à Advocacia-Geral da União que proponha medida cautelar preventiva para garantir a segurança da comunidade universitária.

No fim de semana, segunda a nota, o Instituto Central de Ciências (ICC), também conhecido como Minhocão, foi alvo de pichações e adesivagens de cunho político-eleitoral. Houve destruição de cartazes de uma exposição dos estudantes do curso de graduação em Museologia, intitulada “Se essa rua fosse mina”. A equipe da Prefeitura do Campus da UnB recolheu os adesivos e limpou as pichações. Imagens das câmeras de segurança estão sendo verificadas para a tomada de providências, segundo a instituição.

Na nota, a UnB manifestou repúdio aos atos de vandalismo e reiterou o compromisso com a paz e os valores do Estado democrático de direito, que incluem a liberdade de cátedra e de opinião, com respeito ao próximo e aos direitos humanos. "A Universidade continuará com suas atividades acadêmicas e administrativas, em atenção ao cumprimento de sua missão institucional: o ensino, a pesquisa e a extensão", diz o texto.