Menu
domingo, 20 de setembro de 2020
Cidades

'Visibilidade': grupo se mobiliza para que doença genética nos olhos seja considerada cegueira

Quer ajudar a causa? Acesse o site do Senado Federal e vote pela campanha

11 abril 2019 - 17h00Por Thiago de Souza

Portadores de Ceratocone, doença genética que causa perda progressiva da visão, se organizam para que a mazela seja reconhecida como cegueira. A estratégia deles é usar a Ideia Legislativa - ação do Senado que torna um assunto uma Sugestão Legislativa - caso ele obtenha mais de 20 mil apoios no site da Casa de Leis.

Conforme descrito no site do Senado, a proposta do grupo é:

''Reconhecer o portador de ceratocone como deficiente visual, possibilitando campanhas de inclusão e informação, garantindo participação em certames públicos na qualidade de PCD, Tratamento e acompanhamento clínico pelo Estado, garantido o direito desses cidadãos''.

Em Campo Grande, quem faz a divulgação da proposta é Marcos de Souza, 32 anos, que atuava como motorista. Hoje ele está afastado do trabalho por conta da doença.

Marcos relata que sofre com a ceratocone desde 2013 e a doença só progride. Ele acredita que se a doença for considerada como deficiência visual, os pacientes terão maior visibilidade para acessar tratamento gratuito.

Ação pede que ceratocone seja classificada como cegueira. (Foto: Reprodução Site Senado)

A visão de quem tem ceratocone, diz Marcos, fica embaçada e muitas vezes causa duplicidade na imagem.

''Sinto dor de cabeça e nos olhos, até a claridade atrapalha. Se passar por uma pessoa na rua, não consigo enxergar direito '', diz o paciente. Ele faz tratamento particular na Santa Casa de Campo Grande, já que o SUS não disponibiliza exames nem medicamentos.

Souza acrescenta que os óculos não resolvem o problema. ''Somente a lente. Mas cada lado custa cerca de R$ 1.200. A lente melhora bastante, mas tira a oxigenação da córnea e ela fica seca. Por isso, só pode usar cerca de seis horas por dia'', explicou.

Marcos diz que hoje a ceratocone não é classificada como nada, por isso não traz, literalmente, visibilidade para os portadores.

Portadores usam Facebook para trocar experiências sobre o ceratocone. (Foto: Reprodução Facebook)

O motorista é membro de um grupo no Facebook que reúne cerca de 20 mil pessoas, sendo grande parte portadores da doença. Lá, os pacientes trocam experiências como qualidade das lentes, suplementos para a visão e informações de como tentar procedimentos pelo SUS. Há até quem faça palestra motivacional sobre o assunto.

Nesta quarta-feira (10), o site do Senado informava que a sugestão já recebeu 15.082 apoios. Faltam 4.018 ''votos''.

Quem tiver o interesse em ajudar a causa, basta acessar o link e votar: https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaoideia?id=121172

Leia Também

Após confusão com bolsonaristas, Prefeito de Rio Verde paga R$ 15 mil de fiança por porte ilegal de arma
Interior
Após confusão com bolsonaristas, Prefeito de Rio Verde paga R$ 15 mil de fiança por porte ilegal de arma
Chove ou não chove? Previsão aponta que hoje tem em MS!
Cidades
Chove ou não chove? Previsão aponta que hoje tem em MS!
Depois de anos, fome chega com mais intensidade em MS
Cidades
Depois de anos, fome chega com mais intensidade em MS
Prefeito em MS ameaça dar tiro em bolsonaristas
Polícia
Prefeito em MS ameaça dar tiro em bolsonaristas