(67) 99826-0686

Volta às aulas movimenta corre corre dos pais no centro e até no Camelódromo da Capital

Volta às Aulas

2 FEV 2014
Carlos Guessy
09h08min
A correria deve ser grande essa semana no centro da cidade com os pais que deixaram para última hora a compra dos materiais escolares dos pimpolhos. Foto: Geovanni Gomes

Há poucos dias do retorno das aulas vários pais correm nas papelarias e livrarias de Campo Grande para comprar o material escolar dos filhos. Em cima da hora o preço a pagar pela escolha são filas e muita disputa de espaço nos estabelecimentos nos mais diversos tipo de estabelecimentos, do camelódromo, a loja de departamentos e livrarias. Na rede particular amanhã,segunda-feira (03) é dia de pular cedo da cama para os alunos do matutino. Na rede municipal e estadual o retorno é na quarta (05).

E para quem deixou para comprar o material escolar dos pequenos, tem que ter muita paciência. Elizabethy Correia, 30 anos, sofre para tentar agradar o seu filho de 4 anos. "Ele quer tudo do Ben 10, se eu atender o pedido do meu filho, eu gasto tudo que tenho e não compro nem a metade da lista", revela a publicitária. Ela ainda fala sobre os preços. "Eu andei bastante e sempre acho uma oscilação, o jeito é o velho e bom desconto, pechinchar, pois vou comprar a vista em dinheiro, quem sabe", brinca Bety como gosta de ser chamada.

Nas livrarias o consumidor acha uma infinidade de capas de cadernos, personagens de histórias em quadrinhos, bichos de pelúcia, galinha pintadinha, carros. Neste ano, a moda são cadernos e mochilas dos personagens do Monster High e da Violetta. O problema é o preço salgado do material. "O jeito é negociar com o filho para levar algo mais barato e sem choro", confessa Mariane Dias, 27 anos, veterinária.

 

Na livraria ShopTudo, na Dom Aquino, por exemplo, um caderno de 200 folhas do Monster High sai por R$ 25 e da Violetta, por R$ 15,76. Só para comparar, um caderno normal com a mesma quantia de folhas custa R$ 6,49 na mesma livraria. No caso das mochilas com carrinho, a diferença também é grande. O material com personagem da moda chega a R$ 200, enquanto os demais variam de R$ 80 a R$ 100 normalmente.

De acordo com o gerente da livraria Jorge Fernandes, desde dezembro, o movimento aumentou em sua livraria. Neste mês, em média, mais de mil pessoas estão passando por dia pelo estabelecimento, mais do que o triplo dos cerca de 300 clientes que circulam pela loja em dias normais. "O movimento está bem intenso, provavelmente vamos ficar até mais tarde um pouco para a tender os pais que deixam para última hora. Vamos negociar os preços que o cliente sairá satisfeito com certeza", disse o gerente da livraria ShopTudo.


Depois de passar por várias livrarias e até pelo camelódramo, foi em uma Loja de departamentos que Rebeca Silveira, 20 anos,estudante, encontrou a mochila que procurava para a filha de 3 anos. "Ela queria uma mochila da Moranguinho,achei mais em conta lá e comprei de rodinhas", observou a mãe de primeira viagem.

 

Sem informação oficial se em 2014 haverá ou não distribuição de uniformes para os alunos da Reme (Rede Municipal de Ensino), formada por 94 escolas e 96 Ceinfs (Centros de Educação Infantil), mães não sabem como irão funcionar os primeiros dias de aula dos filhos. "Eu vou colocar o uniforme do ano passado mesmo. Eu fui na escola e a diretora me repassou essa informação, para esperarmos, que a prefeitura repassaria a informação para escola, depois aos pais, um absurdo esse governo do Bernal", desabafou Cleide Aparecida,32 anos, dona de casa.

As escolas estaduais já estão sendo equipadas para receber os alunos no retorno às aulas do ano letivo de 2014.  Em Mato Grosso do Sul, são 362 escolas estaduais. Os uniformes já começaram a ser distribuídos em todo o Estado. Desde o final de janeiro, os caminhões estão distribuindo nas escolas caixas contendo os uniformes. Também, no inicio de fevereiro, os melhores alunos de cada ano serão premiados com um notebook.

A correria deve ser grande essa semana no centro da cidade com os pais que deixaram para última hora a compra dos materiais escolares dos pimpolhos. Foto: Geovanni Gomes
A correria deve ser grande essa semana no centro da cidade com os pais que deixaram para última hora a compra dos materiais escolares dos pimpolhos. Foto: Geovanni Gomes
A correria deve ser grande essa semana no centro da cidade com os pais que deixaram para última hora a compra dos materiais escolares dos pimpolhos. Foto: Geovanni GomesFoto: Rachid Waqued

Veja também