TJMS dezembro
Menu
Busca quarta, 11 de dezembro de 2019
COLUNA

Reflexões

Marcelo A. Reis

2019, o Bolsonaro e a nossa Coluna

22 janeiro 2019 - 12h34

Caro leitor ; 

Diversos leitores e amigos, ligam e escrevem querendo saber as previsões para 2019 . Digo que não sou astrólogo. Não adianta. Insistem! Dizem que fui o primeiro que afirmou peremptoriamente, há mais de três anos, que o Bolsonaro seria eleito Presidente da República. À medida em que o tempo transcorria , os "Cardeais" da grande imprensa diziam que o Capitão já atingira o seu limite de crescimento etc. etc. e tal. Nós, ao contrário, reafirmávamos, a cada vez, mais e mais que ele venceria. Não quero dizer que  iremos acertar sempre. Não! Claro que podemos errar. Não sou astrólogo, já o disse, e nem bruxo!

Pela TV, assisti a posse perante o Congresso, a passagem da Faixa Presidencial, o discurso para o povo no Parlatório , o "discurso" em LIBRAS da Primeira Dama  e os demais eventos. Transmissão de cargos ministeriais, reuniões setoriais e as declarações dos recém chegados figurões do Planalto; as pertinentes e as desencontradas . Coisas normais em inicio de governo. Todo e qualquer um. À Direita ou à Esquerda . Há um tempo de ajustes e reajustes. É ministro comparando arma com liquidificador.........

É como disputa de espaço, em manada de elefantes, quando o macho alfa sai de circulação. Assume um novo líder ,as funções são redimensionadas e redistribuídas e uma nova hierarquia implantada.

O Presidente, quando candidato, na ausência de um quadro politico/partidário com credibilidade, soube ler, interpretar e verbalizar as ansiedades da população. Uma “troupe” mambembe, ao inicio, com a grande habilidade de promover aquilo que analistas políticos de nome chamam de “auto organização da sociedade”. Em termos de eleitorais os pleitos que vi mais próximos, com as devidas ressalvas, foram as eleições de Jânio, em 60, e de Brizola no Rio, em 82. Ressalto que Bolsonaro  foi maior e mais eficiente.  Aí é que as eminências das esquerdas ficam com os cabelos em pé. Ele, “fascista", "reacionário"," gorila”,"torturador" ,soube captar e dar um norte ao eleitor , enquanto a Esquerda, que sempre se acreditou ser/ter o monopólio da interpretação do sonho/vontade popular , ficou à ver navios . Jair Bolsonaro , oriundo da baixa classe média soube perceber o pensamento médio  da população e , grande sacada (!) , que o povo adora o Exército! Percebeu claramente, e o disse seguidamente, que “o Exército NUNCA foi um estranho na Política porque NUNCA atuou em desacordo com a vontade popular”. Você lembra quando, inúmeras vezes, afirmei que ouvia, em todas as regiões, em todas as classes, em especial nos segmentos populares, que “no tempo dos militares era melhor”. Ressalvava não ser uma afirmação minha, mas a reprodução de algo por demais escutado. Tal explica a sua mais arrojada e audaciosa manobra. Puxar as Forças Armadas , para o centro,para o núcleo do Poder, sem dizer que o está fazendo. Fez lembrar - me do Tião Lima , lá de Minas , da região de Rio Preto / Santa Bárbara do Monte Verde . Líder de prestigio regional, prefeito, recebia o  Ministro da Criança do governo Collor, Embaixador Carlos Garcia, e havia um acordo entre as diversas forças políticas de não se tirar vantagem política da visita. Descíamos uma enorme ladeira e o ministro, em meia voz, lia as diversas faixas . "Novos tempos para Rio Preto !" , "O Futuro chegou !", "Obrigado Ministro Carlos Garcia!!" . Tudo porque lá seria implantado o primeiro CIAC Rural do Brasil . O Tião Lima , com o seu jeito bem capiau diz :" Ministro !! Nós não tamu fazendo pulitica! Mais nós tá fazendu pulitica! "(sic) . Assim o faz Bolsonaro . Copia o Figueiredo que dizia para os políticos que chamaria o Pires , seu Ministro do Exército.  O Capitão SEM dizer que vai chamar , diz (sinaliza) que o faria . Há um outro lado que vai ter que (re) ativar . Refiro - me a capilaridade do contato com as bases . Há que ativar os dois partidos , o seu e o do Vice Mourão para mobilização dos seus seguidores.  Uma coisa e outra estão siamesamente   vinculadas .

NÃO há/haverá apoio militar SEM suporte popular!!!! 

Paradoxalmente as reformas que a população reclama só ocorrerão, no momento,  através do Bolsonaro e seu grupo.  Tal explica o surto moralista de setores que NUNCA foram ligados nesse tema e suas ligações com grupos que , até há pouco, eram seus inimigos figadais. Admitindo - se que o Senador Flavio Bolsonaro , filho do Presidente,tenha efetivamente cometido alguma irregularidade , é , no mínimo estranho que os grandes apoiadores do Maluf, Collor , Lula , tenham por obra e graça do Espírito Santo convertido - se nos Paladinos da Ética e da Moralidade Pública!! Está mais do que claro que o objetivo é fragilizar o governo.......

Há uma ironia para ser registrada.  O Presidente que ,na campanha,  fez eco à maior mentira já  manipulada na TV . A de que o Governador Brizola proibira as forças de segurança de entrarem nas comunidades,  é hoje o "saco de pancadas" de manipulações do mesmo grupo de comunicações. 

É hora , repito como um mantra há cinco anos , de buscarmos um consenso mínimo para o Brasil .

Caso contrário......... será ruim, péssimo,  para todos nós. 

Até a próxima