Menu
Busca sábado, 19 de outubro de 2019
COLUNA

Top Pipoca com Pedroka

Pedro Martinez

By the Grace of God: o pecado da Igreja...

Nenhuma justiça

18 setembro 2019 - 10h59

O cinema de François Ozon se divide em 2 temáticas: filmes que mergulham no lado sombrio da psicologia humana, como Young and Beautiful de 2013, carregados de esquizofrenia e sexo, e outros que são baseados nas vítimas de fatos históricos traumatizantes como em Frantz de 2016. Nesta segunda temática, é que By the Grace of God (Grâce à Dieu, 2018) se enquadra.

O prolífico cineasta francês volta com um tema polêmico: pedofilia na Igreja Católica. Baseado em fatos reais, nos é apresentado o caso do padre Bernard Preynat, da diocese de Lyon, atualmente nos tribunais franceses por abusar de 70 crianças. Este filme procura investigar as consequências desse crime na vida adulta de três homens de diferentes classes e condições sociais.

A história procura descobrir o humanismo por trás dos sobreviventes de um caso de abuso sexual promovido por um padre nos anos 70 e 80 que foi minimizado pela hierarquia eclesiástica "até o fim". A primeira parte corresponde a Alexandre (Melvil Poupaud), um pai dedicado que ainda acredita em Deus e que é incentivado a contar que foi abusado pelo padre Bernard Preynat em seu tempo como escoteiro. Primeiro, ele recorre ao alto comando da Igreja mas não obtêm a resposta pretendida. Seu caso prescreveu porque aconteceu há mais de 40 anos atrás. Numa segunda parte, veremos o caso de François (Denis Ménochet), um ateu que não tem filhos e que, embora não quisesse relembrar o passado doloroso, conta, enfim, com o apoio de seus pais para encontrar a força para enfrentar o padre e espalhar pra mídia. E finalmente conhecemos o traumatizado Emmanuel (Swann Arlaud), que tem problemas para reconstruir sua vida a partir dos fatos que deixaram uma marca e que não tem os meios econômicos ou apoio emocional necessário para enfrentar o julgamento. Mas será a associação La Parole Libérée, que agrupou as vítimas, que o fortalecerá a enfrentar demanda.

Um Ozon menos agressivo do que em outros filmes procura colocar a questão em cima da mesa antes de acusar. Descreve a dor das vítimas e o poder da religião católica que pode se tornar monstruoso ao encobrir tais atos. A estrutura dramática funciona como uma panela de pressão, aumentando a tensão com o passar dos minutos e dos casos. O drama assume a forma de um thriller: quando parece que o assunto termina, ele se dissolve novamente, levando suas vítimas a renovar suas forças para continuar lutando. Não individual, mas coletivamente, para efetivar a reivindicação perante a justiça.

Há uma intenção no filme de se desprender do fato concreto e refletir sobre os danos emocionais que o abuso sexual pode causar nas pessoas. Ainda maior se for acompanhado por um abuso de poder, através da figura de um padre. Os personagens não são retratados esquematicamente - o Padre não é criminalizado e as vítimas não ??são fracas. Existe um trabalho das nuances que fortalecem o filme e evitam minimizar o conflito.

Em suma, By the Grace of God insiste no componente pessoal, em seu sentido individual, de uma história chocante, mas sem perder de vista essa última dimensão que se conecta mais com a realidade que conhecemos. Isso é possível por suas múltiplas facetas, e seu rigor busca fornecer aos espectadores tanta informação quanto emoção, e sem conclusões definitivas ou explosões apaixonadas.

5 pipocas!