Menu
Busca quarta, 23 de outubro de 2019
COLUNA

Farmácia faz propaganda escancarada em casa de distribuição de remédios gratuitos

Panfletos ficam disponíveis no balcão que recepciona os pacientes de todo Estado

15 julho 2018 - 23h00

Não encontrou o remédio que procurava na Casa da Saúde, que deveria fornecer medicamentos gratuitamente? Não tem problema, é só pegar um panfleto da rede de farmácias particulares que te aguarda no balcão e gastar o salário todo para garantir um pouquinho de qualidade de vida – ou dignidade ao menos.

Então...

Parece brincadeira com a cara do trabalhador, mas é a realidade do serviço público em Mato Grosso do Sul. Sem contar a demora para o atendimento. Leitor do TopMídiaNews contou que ficou mais de duas horas aguardando para conseguir um medicamento.

Em pauta

A vereadora Enfermeira Cida Amaral (Pros) ministrou duas palestras sobre “Prevenção de Queimaduras” em escolas municipais de Campo Grande nesta semana. Os eventos fazem parte de ações integradas em decorrência a Semana de Prevenção a Queimaduras, que foi instituída pela Lei n. 5.925/17. O objetivo é a redução de acidentes; reinserção dos pacientes na sociedade; orientações quanto aos primeiros socorros; prevenção de acidentes domésticos; manuseio no preparo do bife na chapa e o acesso de crianças a produtos inflamáveis.

Cobrança

O vereador Carlão (PSB) andou cobrando a atuação efetiva da Guarda Municipal nos terminais de ônibus por 24 horas. Segundo o parlamentar, a falta de vigilância agrava a situação dos terminais que acabam pichados, com banheiros e bebedouros deteriorados pela ação de vândalos.

Defesa

“Se reformarem, vão vandalizar novamente, sem a atuação da Guarda Municipal. Precisamos de guarda ao patrimônio público. Com rodízio de guardas no entorno dos terminais e de todos os prédios públicos. Esse atual secretário quer transformar a Guarda Municipal em Policiais Militares”, avaliou.

Trem da alegria

O aumento dos seguidores do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) e as declarações polêmicas do alto escalão do Exército têm incentivado a entrada de militares – da ativa e reserva – na política. O último levantamento apontou 11 pré-candidatos em Mato Grosso do Sul, mas até a realização das convenções este número pode aumentar e muito. A farda tem passado grande credibilidade perante ao eleitor – pena que não significa nada.